Clássico paulista tem seis presos que cumprirão serviços comunitários

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2015 11h09
SÃO PAULO, SP, 31.05.2015 - SEGURANÇA-SP - Alexandre de Moraes secretário de Segurança Pública durante inauguração da delegacia móvel em ônibus da Deatur, na Arena Corinthians, no bairro de Itaquera região leste de São Paulo neste domingo, 31. (Foto: Marcos Moraes/Brazil Photo Press/Folhapress)Alexandre de Moraes secretário de Segurança Pública durante o clássico

O clássico paulista disputado neste domingo (01) entre Corinthians e Palmeiras, na Arena Corinthians, marcou o início de novas medidas antiviolência anunciadas pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Poder Judiciário, e já mostrou resultado. Nove pessoas foram detidas durante a partida e seis já foram sentenciadas a cumprir trabalhos voluntários em instituições públicas.

Detidos, cinco cambistas e um torcedor do Corinthians já foram julgados pelo Anexo Judicial de Defesa do Torcedor e terão de cumprir três meses de serviços comunitário no Instituto Médico Legal (IML) e no Corpo de Bombeiros, medida que os impede de entrar nos estádios durante esse período.

Outro torcedor do Corinthians também foi detido, mas não quis ser autuado no estatuto do torcedor e responderá processo. Os dois corintianos que atiraram objetivos dentro do campo também foram pegos por agentes da base da Delegacia de Repressão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), que funciona dentro da arena.

Segundo Alexandre de Moraes, cada suspeito identificado “vai ser autuado, levado para o promotor, para o juiz, e já vai ser julgado, sendo que a prestação de serviço à comunidade começa no próximo jogo do time”.