COB diz que atletas não serão prejudicados por Operação Águas Claras

  • Por Estadão Conteúdo
  • 06/04/2017 19h07
Rio de Janeiro - Atletas da natação treinam na piscina do Estádio Aquático, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca (Fernando Frazão/Agência Brasil)Natação - Fotos públicas

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) garantiu nesta quinta-feira que os atletas não serão prejudicados pela prisão do presidente Coaracy Nunes e de outros membros da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) em decorrência da Operação Águas Claras para investigar indícios de corrupção na entidade.

“Para assegurar que a preparação dos atletas dos desportos aquáticos não seja interrompida, o comitê trabalha com o administrador judicial da CBDA, Gustavo Licks, para dar continuidade aos projetos esportivos a serem financiados pela lei. Agora em março, por exemplo, o COB arcou com as despesas da atleta Poliana Okimoto e a equipe para treinamento em altitude Flagstaff/Arizona, nos Estados Unidos”, explicou a entidade, em nota.

Apesar do momento conturbado, o COB também garante a continuidade de repasses para os esportes aquáticos. A previsão é que a CBDA receba este ano por meio da Lei Agnelo/Piva um montante que vai de R$ 3,2 milhões podendo chegar a R$ 3,6 milhões.

“Todos os fatos levantados sobre a CBDA devem ser apurados com o rigor da lei. O repasse das verbas vindas da loteria federal para as confederações segue critérios rígidos. Todas as prestações de contas são auditadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria Geral da União (CGU).”

Em seu site oficial, a CBDA também emitiu um comunicado informando que “segue com suas atividades esportivas programadas para o período”. A entidade é administrada de forma provisória pelo advogado Gustavo Licks, indicado para o posto pela 25ª vara civil do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro após o mandato de Coaracy Nunes chegar ao fim sem a realização de novas eleições.

“Vimos informar à comunidade dos esportes geridos pela CBDA – natação, polo aquático, nado sincronizado, saltos ornamentais e maratonas aquáticas – que as ações imediatas programadas em seu calendário não serão interrompidas. O principal evento do mês, o Campeonato Sul-Americano Juvenil/Júnior, a ser realizado na Colômbia, envolvendo todas as modalidades aquáticas, está confirmado e com todos os procedimentos sendo tomados para este fim”, confirmou.