Com arbitragem polêmica, Uruguai vence Itália e garante classificação

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2014 14h54
Uruguay's defender Diego Godin celebrates after scoring during a Group D football match between Italy and Uruguay at the Dunas Arena in Natal during the 2014 FIFA World Cup on June 24, 2014. AFP PHOTO/ JAVIER SORIANOAcompanhe todas as emoções de Itália x Uruguai em imagens

No confronto mais aguardado da primeira fase desta Copa do Mundo, Itália e Uruguai duelaram na Arena das Dunas, em Pernambuco, em busca de um lugar nas oitavas de final. E, com péssima atuação do árbitro mexicano Marco Rodríguez, quem levou a melhor foi a seleção sul-americana, que triunfou por 1 a 0, com gol do zagueiro Diego Godín, e segue viva na disputa pelo título.

Em partida bastante polêmica, onde Marchisio foi expulso após lance duvidoso e Luis Suárez permaneceu em campo mesmo mordendo o ombro do zagueiro Giorgio Chiellini, o time sul-americano garantiu a vitória na etapa complementar. Aos 35 minutos, o zagueiro Diego Godín desviou cobrança de escanteio e assegurou seu país nas oitavas de final.

Com este resultado, o Uruguai subiu para segunda colocação na tabela de classificação, com seis pontos, e garantiu um lugar na próxima fase, logo atrás da Costa Rica (sete pontos). A Itália, por sua vez, encerrou sua participação na terceira posição do Grupo D, com quatro pontos, à frente da Inglaterra (um ponto).

Agora, o Uruguai volta a entrar em campo neste domingo, às 17 horas (de Brasília), na Arena Pernambuco, quando mede forças com quem encerrar esta fase na primeira colocação do Grupo C. Atualmente, a Colômbia (já classificada) lidera a chave adversária, com seis pontos, seguida por Costa do Marfim (três pontos), Japão (um ponto) e Grécia (um ponto).

O jogo: Derrotada surpreendentemente por 1 a 0 pela Costa Rica na última rodada, a Itália entrou em campo com inovações em seu esquema tático diante do Uruguai. Com o volante Daniele De Rossi sofrendo com problemas físicos, o treinador Cesare Prandelli optou por escalar a equipe no 3-5-2, com o zagueiro Leonardo Bonucci compondo o setor defensivo ao lado de Giorgio Chiellini e Andrea Barzagli. Na frente, o centroavante Immobile entrou no lugar de Candreva.

Bem distribuída em campo, a seleção europeia era quem tinha mais posse de bola e tentava criar as melhores oportunidades. De volta ao time após ser substituído por Thiago Motta, o volante Marco Verratti era responsável pela saída de bola, enquanto Andrea Pirlo atuou em função mais avançada. Entretanto, o experiente atleta, de 35 anos, não conseguiu mostrar bom desempenho durante o primeiro tempo.

Já o Uruguai, mesmo precisando da vitória para avançar de fase, adotou postura mais defensiva, apostando principalmente em contra-ataques e deixando o atacante Luis Suárez como homem mais adiantando. Prova disso foi lance ocorrido aos 25 minutos, quando até mesmo o centroavante Edinson Cavani marcava na linha de intermediária.

Em uma de suas descidas ao campo ofensivo, quase sempre pelo lado esquerdo, o time sul-americano passou perto de abrir o placar, aos 32 minutos. Suárez fez boa jogada individual, invadiu a área e tabelou com Nicolás Lodeiro. Atento, o goleiro Gianluigi Buffon saiu nos pés do atacante e abafou parcialmente a jogada. No rebote, Lodeiro chutou de perna esquerda e o camisa 1, em excelente movimentação, fez nova defesa.

Após primeiro tempo bastante brigado, onde o centroavante Mario Balotelli recebeu cartão amarelo por entrada dura em Álvaro Pereira, Prandelli optou por tirar o atacante do Milan e colocar Marco Parolo. Óscar Tabárez, por sua vez, promoveu a entrada de Maxi Pereira (expulso no primeiro jogo) na vaga de Lodeiro.

Além de mudança de nomes, o Uruguai mudou seu estilo de jogo e passou a marcar já em seu campo ofensivo e, aos 12 minutos, quase abriu o placar. O meio-campista Cristian Rodríguez tabelou com Luis Suárez, invadiu a área pelo lado esquerdo e chutou cruzado. A bola passou rente à trave do gol defendido por Buffon, que apenas observou.

No momento em que crescia no jogo, a equipe uruguaia ficou em situação ainda melhor quando Claudio Marchisio foi expulso. Em lance bastante duvidoso e polêmico, aos 14 minutos, o atleta da Juventus disputou bola com Arévalo Rios e recebeu cartão vermelho do árbitro mexicano Marco Rodríguez, que viu solada do meia.

Com a vantagem numérica em campo, Tabárez tirou o lateral esquerdo Álvaro Pereira e colocou o meio-campista Cristhian Stuani. A pressão aumentou e Buffon passou a ser um dos destaques em campo. Aos 21 minutos, o goleiro ficou frente a frente com Luis Suárez, que chutou rasteiro, de perna direita. E, mesmo aos 36 anos, o camisa 1 caiu e fez excepcional defesa.

Enquanto os uruguaios se lançavam completamente ao ataque em busca da classificação, os italianos marcavam a partir da intermediária e tentavam saídas em velocidade. Um dos jogadores mais técnicos do elenco comandado por Prandelli, Cassano entrou na partida, na vaga de Immobile, com missão de prender mais a bola no setor ofensivo. Verratti, após dura entrada de Cavani, precisou ser substituído por Thiago Motta.

Aos 33 minutos, em lance bastante polêmico, Suárez não foi expulso mesmo acertando mordida no ombro de Chiellini. Revoltado, o zagueiro ainda tentou mostrar a marca da mordida ao árbitro, que ignorou completamente. E, apenas dois minutos depois, o Uruguai balançou as redes. Após Gaston Ramírez cobrar escanteio, o zagueiro Diego Godín saltou no meio da área e desviou para o gol, sem chances para Buffon.

O gol uruguaio obrigou mudança de postura dos europeus, que mesmo em desvantagem numérica foram ao campo de ataque. Contudo, sem uma referencia na área, a seleção tetracampeã mundial não conseguiu balançar as redes, sendo precocemente eliminada da Copa do Mundo de 2014.