Com festa e bom futebol, Estádio Nacional recebe abertura da Copa América

  • Por Agência EFE
  • 10/06/2015 15h26

Partida entre Chile e EquadorEstádio Nacional será palco do jogo de abertura da Copa América

O Estádio Nacional de Santiago do Chile, com uma rica história esportiva e tristes episódios registrados durante a ditadura no país, recebe nesta quinta-feira a cerimônia de abertura da Copa América, que promete ser repleta de surpresas e bom futebol, com os anfitriões como protagonistas.

Chile e Equador fazem a primeira partida da 44ª edição do torneio de seleções mais antigo do mundo, mas antes de a bola rolar será realizado um espetáculo de 20 minutos, com direito a um show de luzes e muitos fogos de artifícios.

Inaugurado em 1938, quando foi chamado pejorativamente de “elefante branco” por alguns cronistas que juravam que suas arquibancadas jamais estariam cheias, o Estádio Nacional foi inaugurado com capacidade para receber 80 mil pessoas, algo que ocorreu em várias ocasiões, contrariando as expectativas dos jornalistas.

Entre elas, a Copa do Mundo de 1962, um total de 68 partidas da Copa América, a última delas de 1991, finais da Taças Libertadores e da Copa Sul-Americana e, fora o lado esportivo, vários concertos de estrela da música, como Paul McCartney e Madonna.

Mas o Nacional também viveu episódios sombrios, especialmente na época em que foi utilizado como campo de concentração de prisioneiros políticos durante a ditadura de Augusto Pinochet, história conservada na memória de muitos chilenos.

Construído no bairro de Ñuñoa, o estádio passou por uma reforma em 2010, que reduziu sua capacidade para 48.665 espectadores. Recebeu o nome de Julio Martínez Prádanos, um jornalista que escreveu singulares crônicas esportivas no templo do futebol do país.

O Estádio Nacional receberá seis partidas nesta edição da Copa América, incluindo a decisão do torneio, marcada para o dia 4 de julho. O Brasil não jogará no principal palco do futebol chileno durante a fase de grupos.