Com início arrasador, Ponte Preta vence o Palmeiras e abre vantagem na semifinal

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 16/04/2017 17h57
SP - PAULISTÃO/PONTE PRETA X PALMEIRAS - ESPORTES - Lucca, da Ponte Preta, marca gol na partida contra o Palmeiras, válida pelas semifinais do Campeonato Paulista 2017, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, neste domingo (16). 16/04/2017 - Foto: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOLucca bate sob Fernando Prass e marca o segundo gol da Ponte Preta contra o Palmeiras

Um primeiro tempo irretocável e surpreendente deu à Ponte Preta uma vitória arrasadora em cima do Palmeiras. Os 3 a 0 no estádio Moisés Lucarelli, neste domingo, colocam o time de Campinas em situação favorável no jogo que decidirá a vaga na final do Campeonato Paulista. Dono da melhor campanha na primeira fase, o clube alviverde precisa ganhar por 4 a 0 no estádio Allianz Parque, em São Paulo, no sábado, para se classificar à decisão.

O resultado mantém um longo tabu a favor da Ponte Preta, que agora soma seis jogos sem perder para o Palmeiras – são quatro vitórias e dois empates. A última vez que o time alviverde superou o campineiro foi em julho de 2015. Neste domingo, a equipe do técnico Eduardo Baptista sequer chegou perto de quebrar esse jejum.

O gol logo aos 38 segundos não foi obra do acaso ou sorte. A Ponte Preta jogou o primeiro tempo inteiro da mesma maneira. Aliou à forte e em alguns momentos desleal marcação com a velocidade de seus jogadores de ataque. O trio formado por Lucca, William Pottker e Clayson desmontou o sistema defensivo do Palmeiras, em especial o lado esquerdo.

Felipe Melo e Tchê Tchê não deram a sustentação necessária aos laterais Zé Roberto e Jean. O resultado disso é que o goleiro Fernando Prass foi bombardeado do início ao fim da primeira etapa: ele fez duas defesas antes de sofrer o primeiro gol marcado por William Pottker e não teve nenhuma chance diante de Lucca e Jeferson, os autores dos outros dois gols da Ponte Preta.

Se a Ponte Preta fez três gols em 45 minutos (e poderia ter feito mais), o Palmeiras mal chegou à área do goleiro Aranha. De concreto, houve apenas uma chance clara, em uma cabeçada do colombiano Borja. É muito pouco para o time considerado favorito ao título, que precisava mudar sua postura no intervalo.

Eduardo Baptista até tentou. Primeiro colocou Michel Bastos no lugar de um apático Guerra. Depois com Alecsandro na vaga de Borja. Mas, o estrago já estava feito. O Palmeiras não conseguia pressionar o rival a ponto de diminuir o placar. E para piorar corria sério risco de sofrer o quarto gol, o que praticamente enterraria as chances de chegar à final.

O panorama do jogo mudou na última meia hora porque a Ponte Preta diminuiu o ritmo, já satisfeita com o resultado obtido no primeiro tempo. Cansado, o Palmeiras estava entregue. A vitória dura diante do Peñarol no meio de semana teve reflexos em Campinas.

Opinião JP

Para Flávio Prado e Beetto Saad, o resultado conquistado pela Ponte Preta neste domingo de Páscoa foi justo. No entanto, os comentaristas da Jovem Pan disseram que a vantagem da Macaca poderia ter sido maior, já que o árbitro da partida, Marcelo Aparecido Ribeiro Souza, ignorou a marcação de uma penalidade em William Pottker no final da partida.

“Foi um duelo aonde o Palmeiras não jogou. O Palmeiras veio de uma partida pesada no meio de semana, fisicamente e emocionalmente. E a Ponte Preta foi para cima e aproveitou as chances que teve. A Ponte Preta foi objetiva e os gols saíram com naturalidade. Poderia até ter sido mais. 3 a 0 foi um placar muito grande, mas eu acredito que ainda não está definido. O Palmeiras tem o melhor elenco do Brasil”, analisou Flávio Prado.

Beetto Saad também considera o placar de 3 a 0 uma grande vantagem, mas o comentarista da Jovem Pan acredita que o Palmeiras terá muitas dificuldades para revertê-lo. “Hoje a Ponte Preta neutralizou o Palmeiras. A Ponte Preta foi perfeita, brilhante. O Gilson Kleina deu um nó tático em Eduardo Baptista. 3 a 0 é uma grande vantagem, que será difícil para o Palmeiras reverter, mesmo jogando em casa”, concluiu.

Ouça os gols da partida entre Ponte Preta e Palmeiras: