Com um a menos, Fla não resiste ao León e perde na estreia da Libertadores

  • Por Agencia EFE
  • 13/02/2014 00h02

León (México), 12 fev (EFE).- O Flamengo lutou muito nesta quarta-feira, mas acabou derrotado para o León, fora de casa, por 2 a 1, em jogo válido pela primeira rodada do grupo 7 da Taça Libertadores, em que jogou desde os 12 minutos do primeiro tempo com um homem a menos.

O jogador expulso do time carioca foi o volante Amaral, que fez falta dura no meia Montes e deixou o gramado de maneira direta, sem ter tomado qualquer cartão amarelo.

Pouco depois, o argentino Mauro Boselli abriu o placar cobrando pênalti. A igualdade veio com gol do volante paraguaio Cáceres, ainda na etapa inicial. No segundo tempo, o autor do primeiro gol do time mexicano teve chance de ampliar, em outra penalidade, mas a desperdiçou, cobrando com “cavadinha” nas mãos de Felipe.

O colombiano Franco Arizala, que deixou o banco de reservas ainda no primeiro tempo, definiu o marcador da primeira partida da chave, aos 22 minutos da etapa complementar.

Na madrugada de quinta para sexta-feira, o Emelec receberá o Bolívar, em Guayaquil, no encerramento da rodada inicial do grupo 7.

No primeiro grande desafio de 2014 para o Flamengo, o técnico Jayme de Almeida teve a chance de escalar aquilo que considera o time ideal. As novidades foram Samir e Mugni, que ganharam as vagas de Erazo e Paulinho. Do lado do León, foi confirmada a presença do experiente Rafa Márquez, que se recuperou de lesão.

Com a bola rolando, o time da casa partiu com tudo em busca do gol. E logo no primeiro lance, por pouco não o encontra, quando Boselli disparou pela esquerda e cruzou para Britos, que se esticou todo mas não conseguiu tocar na bola, que saiu pela linha de fundo.

A resposta rubro-negra não demorou a vir. Aos 5 minutos, em cabeçada fulminante após cruzamento da esquerda de Éverton, Hernane acertou o travessão defendido pelo goleiro Yarbrough, dando um grande susto na barulhenta torcida do León.

Aos 12 minutos do primeiro tempo, no entanto, a vida do Flamengo começou a se complicar, quando o volante Amaral fez uma dura falta no meia Montes e foi expulso pelo árbitro colombiano José Buitrago, que sequer havia mostrado cartão amarelo na partida.

No momento da punição ao jogador rubro-negro, o León já dominava o jogo territorialmente, e a situação só piorou a partir daí para os visitantes. Os donos da casa, no entanto, mostravam dificuldades em criar chances claras de gol.

O drama para o time carioca aumentou aos 30 minutos, quando a arbitragem marcou pênalti duvidoso de Hernane em Boselli. O próprio atacante argentino correu para a bola e fuzilou Felipe, cobrando com força e categoria no canto direito do goleiro.

Mesmo com um a menos e em desvantagem no placar, o Flamengo não parou de lutar. E mesmo em um lance ocasional quase empatou o jogo aos 37 minutos, quando Elano cobrou falta na área, e Samir desviou meio sem jeito, à esquerda de Yarbrough.

Pouco depois, o técnico Gustavo Matosas surpreendeu, ao tirar o zagueiro González, que tinha acabado de receber cartão amarelo, para colocar o atacante Arizala, alterando completamente a estrutura da sua equipe.

O comandante acabou punido minutos depois pela ousadia. Aos 42 minutos, Elano cobrou bola na área e Cáceres ganhou da zaga para marcar de cabeça o gol do empate rubro-negro. Os jogadores do Fla demoraram a comemorar, devido a confusa sinalização do árbitro José Buitrago.

Na etapa complementar, o jogo começou frio, aparentemente em uma estratégia rubro-negra para tentar conter o adversário. Só que aos 15 minutos, Arizala caiu na área após lance com André Santos e a arbitragem marcou novo pênalti.

Mais uma vez o argentino Boselli partiu para a bola, mas desta vez, resolveu apostar na “cavadinha” e praticamente recuou para a defesa de Felipe, que evitou assim o segundo gol do León.

Empolgado, o Fla seguiu apostando na bola parada de Elano, e por pouco não virou o placar aos 17 minutos, em lance originado desta forma. O meia cobrou falta da esquerda, a bola passou por quase toda a área, mas antes Cáceres conseguiu dar uma leve resvalada, acertando a trave.

A empolgação dos visitantes acabou durando pouco, até uma cochilada da sua zaga. Instantes após a entrada de Paulinho no lugar de Éverton, aos 22 minutos, em jogada originada em escanteio da esquerda ofensiva do León, a bola bateu e rebateu até sobrar no pé de Arizala, que fuzilou Felipe para marcar.

O técnico Jayme de Almeida tentou fortalecer o setor de meio com a entrada de Muralha no lugar de Elano. Ainda assim, a equipe seguiu levando sufoco. Aos 33, Boselli, sozinho cabeceou bola na trave – em lance invalidado por impedimento do argentino. Dois minutos depois foi a vez de Montes finalizar prensado, parando na defesa de Felipe.

Nos minutos finais, nem mesmo a entrada do centroavante Alecsandro, bicampeão da Libertadores com Internacional e Atlético Mineiro, foi capaz de ajudar o rubro-negro, que pela 10ª em 12 participações no torneio, não conseguiu vencer na estreia como visitante, acumulando agora seis empates e quatro derrotas.

None

Ficha técnica.

León: Yarbrough; Magallón, Vázquez, González (Arizala) e Edwin Hernández; Rafa Márquez, Montes, Loboa (Navarro) e Peña; Boselli e Britos. Técnico: Gustavo Matosas.

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Amaral, Cáceres, Elano (Muralha), Mugni (Alecsandro) e Éverton (Paulinho); Hernane. Técnico: Jayme de Almeida.

Árbitro: José Buitrago (Colômbia), auxiliado pelos compatriotas Wilmar Navarro e Rafael Rivas.

Gols: Boselli e Arizala (León); Cáceres (Flamengo).

Cartões amarelos: González (León); Mugni e André Santos (Flamengo).

Cartão vermelho: Amaral (Flamengo).

Estádio: Camp Nou, em León (México). EFE