“Comparar Neymar a Marta só alimenta o preconceito”, critica Vadão

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2016 18h06

Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro renderam comparações entre Neymar e Marta

Montagem sobre fotos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro renderam comparações entre Neymar e Marta

Os gritos da torcidaos riscos na camisa do garoto e as contundentes críticas de Galvão Bueno criaram uma situação inédita no esporte brasileiro durante os Jogos Olímpicos de 2016: a comparação da maior jogadora de futebol do País com o atleta brasileiro mais talentoso e midiático do momento. 

Opor Neymar e Marta, no entanto, não ajuda o futebol verde e amarelo. 

É isto, pelo menos, o que pensa o técnico da Seleção feminina. Em entrevista exclusiva ao repórter Felipe Altarugio que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, Vadão disse desaprovar as comparações feitas durante a Rio-2016. 

“Não vou nem dizer que essa comparação é justa ou injusta, mas garanto que ela não é saudável para a Seleção“, criticou Vadão. “Primeiro, porque estamos falando de homens e mulheres, e, é claro, existem diferenças físicas entre elesDepois, porque tem uma diferença estrutural muito grande entre o futebol masculino e o feminino no Brasilcomplementou. 

Para o treinador, contrastar homens e mulheres só acentua o machismo que tanto assombra o futebolEssa comparação não ajuda em nada. Só serve para alimentar o preconceito que sempre existiu. Entre os atletas das Seleções masculina e feminina, todos se gostam, se falam. Não há essa animosidade“, garantiu Vadão. 

“Em todos os jogos da Seleção, os meninos mandavam recados e vídeos para as meninas, dizendo que estavam torcendo por elas. O Neymar fez isso várias vezes, inclusive. E elas também retribuíam esse carinho antes das partidas deles. Nunca houve uma rivalidade“, confirmou. “A Marta assistiu à final do torneio masculino no camarote do Neymar… Não tem por que comparar. A Marta é a Marta, Neymar é o Neymar“, encerrou.