Conhecido pelos títulos, Bauza foi zagueiro artilheiro e tem perfil tranquilo

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2016 20h34
SP - FUTEBOL/SÃO PAULO - ESPORTES - O técnico Edgardo Bauza durante o treino do São Paulo no CT da Barra Funda, na zona oeste da cidade, nesta sexta-feira, 22. A equipe se prepara para o início do Campeonato Paulista. 22/01/2016 - Foto: MARCELLO ZAMBRANA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOEdgardo Bauza defendeu times como Rosario Central e Independiente quando jogador e fez 108 gols

Depois de contratar o colombiano Juan Carlos Osorio em 2015, o São Paulo resolveu apostar novamente em um técnico estrangeiro em 2016. Desta vez, no entanto, o escolhido tem uma carreira mais consolidada e é conhecido por seus títulos da Libertadores: Edgardo Bauza conquistou o torneio continental em 2007, pela LDU, e em 2014, pelo San Lorenzo.

Mas essa é apenas parte da sua história, segundo contra o repórter André Ranieri, da Rádio Jovem Pan, em especial sobre o novo comandante tricolor. Bauza também foi um grande zagueiro. Mais do que defender, o hoje treinador tinha outra qualidade: marcava muitos gols.

Ao todo, ele balançou a rede por 108 vezes na carreira, número que o coloca como quarto zagueiro com mais gols na história do futebol, atrás apenas de Ronald Koeman, Daniel Passarella e Fernando Hierro, segundo a Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol.

No São Paulo, Bauza terá a missão de enquadrar um elenco criticado pela falta de brio. Nessa missão, será importante a ajuda do ídolo Diego Lugano, com o qual já teve uma conversa particular.

“Ele queria saber quais são as minhas ambições, pois sabe que todo jogador não só perde na parte física, mas também na ambição, na fome. Acho que, depois de a gente falar, ele teve clara qual é minha postura hoje diante do São Paulo, que é um time ao qual devo grande parte da minha carreira esportiva”, disse o zagueiro uruguaio.

Para ter motivar a equipe, a comunicação é essencial. Mesmo sendo argentino, o treinador tem se entendido com o elenco. “É um cara tranquilo, que observa mais do que fala, e estamos nos acostumando com isso. A gente vai levando, entendendo algumas partes. Mas dá para entender legal”, relatou o atacante Rogério.