Consolidação de uns, desespero de outros: o balanço do 1º turno do Brasileirão

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2015 10h14
Líder e lanterna do Campeonato

O primeiro turno do Campeonato Brasileiro se encerrou neste domingo (16) e, como de costume desde que a competição passou a ser disputada em pontos corridos, já é possível ter um bom indicativo do que será a fase final do Brasileirão 2015.

Enquanto algumas equipes se credenciam a candidatas ao título nacional e outras mostram poder de reação para se distanciar das últimas posições, alguns times mostram que correm sérios riscos e preocupam seus torcedores.

Destaques positivos do primeiro turno:

Forte dentro e fora de casa, com uma defesa sólida e uma regularidade invejável, o Corinthians soube passar por momento de turbulência no início da competição, se manteve sempre próximo dos líderes e, na penúltima rodada do primeiro turno, assumiu a liderança e conquistou o título simbólico da primeira fase do campeonato.

O Atlético Mineiro foi líder do Brasileiro durante boa parte do turno e se candidatou ao título nacional com o futebol ofensivo. Melhor ataque da competição com 33 gols, o Galo conta com Lucas Pratto que, com 7 gols, é o terceiro colocado na briga pela artilharia da competição.

O Grêmio é um dos grandes destaques do primeiro turno do Brasileiro. Desacreditado após início ruim na competição, o tricolor gaúcho cresceu a partir da chegada de Roger Machado, que substitui Felipão. Scolari deixou o Grêmio na zona de rebaixamento e Roger colocou no terceiro lugar, com 36 pontos.

Sport e Atlético Paranaense podem não ter força para brigar por Libertadores, muito menos por título, mas, sem dúvida, são dois destaques da primeira metade da competição. Ofensivas e bem montadas, as equipes, hoje na 7ª e 8ª posições respectivamente, chegaram a estar dentro do G4 (o clube pernambucano chegou a liderar a competição), e proporcionaram bons jogos no Brasileiro.

Destaques negativos:

Pior defesa do Brasileiro com 31 gols sofridos, pior ataque com apenas 8 gols marcados e última posição na tabela: o Vasco é o grande destaque negativo do primeiro turno da competição nacional. Fragilizado, o time de Eurico Miranda vai para seu terceiro treinador (já demitiu Doriva e Celso Roth) e está a sete pontos do Avaí, primeiro time fora do Z4.

Atual bicampeão Brasileiro, o Cruzeiro não é nem sombra do time que sobrou nas duas últimas edições do campeonato. Com 22 pontos, a raposa ocupa a 14ª posição e, sob o comando de Luxemburgo, não consegue se distanciar da zona da degola.

Companheiros do Vasco no Z4, Goiás, Coritiba e Joiville sofrem e não mostram força para fugir da situação. O mau futebol se reflete em números e o Coxa e o Jec, com 13 gols sofridos cada um, tem a segunda pior defesa do Brasileiro.

A comparação com 2014:

A virada de turno pode indicar muito sobre a classificação final da competição. Em 2014, por exemplo, todos os clubes que terminaram a primeira metade do Brasileiro dentro do G4 (Cruzeiro, São Paulo, Internacional e Corinthians), encerraram a competição com vaga na Libertadores, e o “campeão de inverno”, Cruzeiro, confirmou o título nacional no final do ano. Desse modo, Corinthians, Atlético Mineiro, Grêmio e Fluminense podem se animar.

No comparativo com a temporada passada, três dos quatro membros do G4 atual superam ou igualam a pontuação dos membros do G4 que encerrou o primeiro turno do Brasileiro 2014: 4º colocado com 33 pontos, o Fluminense supera o Corinthians, que ao final do primeiro turno de 2014 ocupava a mesma posição com 32 pontos. Hoje na terceira posição com 36 pontos, o Grêmio fica a frente do Internacional, que virou o turno de 2014 com 43 pontos. Já o segundo colocado de 2015, o Atlético Mineiro, tem os mesmo 36 pontos do São Paulo, segundo colocado do Brasileiro ao final do primeiro turno do campeonato passado. O Corinthians, “campeão de inverno” em 2015 com 40 pontos não superou o Cruzeiro de 2014, que encerrou a primeira metade do nacional com 43 pontos.

O mesmo vale para o rebaixamento: dos quatro candidatos a rebaixados no fim do primeiro turno (Criciúma, Coritiba, Bahia e Vitória), apenas um escapou da degola, o Coritiba, que deu lugar ao Botafogo, que ao final da primeira fase ocupava a 14ª colocação. Na atual temporada, Goiás, Coritiba, Joinvile e Vasco ocupam as quatro últimas posições na tabela e são sérios candidatos ao rebaixamento.

Se comparar a campanha do Vasco com o Vitória, último colocado do Brasileiro 2014 na virada de turno do campeonato passado, a situação do cruzmaltino fica ainda mais preocupante. Enquanto o Vitória, ao final do turno no ano passado somava 15 pontos e estava a apenas três pontos do primeiro time fora do Z4, o time de Eurico Miranda hoje soma 13 pontos e está a sete de deixar a degola.