Controversa, torcida única em São Paulo completa um ano e divide opiniões

  • Por Jovem Pan
  • 04/04/2017 11h39

Torcida única nos clássicos de São Paulo completa um ano nesta terça-feira

Torcida única nos clássicos de São Paulo completa um ano nesta terça-feira

Faz exatamente um ano que o Ministério Público pediu, e a Federação Paulista de Futebol (FPF) acatou: todos os clássicos envolvendo Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo deveriam ser realizados com apenas uma torcida no estádio, a do clube mandante. Controversa, a medida foi implementada em 2016 e mantida para 2017.  

No Jornal da Manhã da última segunda-feira, o Secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, defendeu a ação e ressaltou que as ocorrências foram “sensivelmente” diminuídas desde então. 

A Secretaria revelou que não houve confrontos nos cinco clássicos de 2017 – contra seis nos cinco clássicos com torcida dupla em 2016 – e que o público aumentou de 290 mil torcedores em 2015 para 361 mil no ano passado. 

Por outro lado, os críticos à medida argumentam que os confrontos entre torcidas acontecem longe dos estádios e que estabelecer torcida única nos clássicos é institucionalizar a intolerância no futebol. A providência seria a admissão da falência de um estado incapaz de coibir a violência. 

E você? O que pensa sobre o tema? Para ajudá-lo a chegar a uma conclusão, o Jovem Pan Online conversou com os principais comentaristas esportivos da Rádio Jovem Pan. Veja, abaixo, o que cada um deles defende.