Com dois brasileiros, JP escala a seleção de destaques da fase de grupos da Copa do Mundo

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2018 13h00
EFEThiago Silva, autor do segundo gol brasileiro contra a Sérvia, comemora junto com companheiros

A fase de grupos da Copa do Mundo chegou ao fim nesta quinta-feira (28). 16 seleções se despediram da Rússia e estão voltando para a casa, enquanto outras 16 seguem vivas em busca do título e iniciam neste sábado a disputa do mata-mata.

E para apresentar os destaques da primeira etapa da competição, a Jovem Pan apresenta a seleção dos melhores jogadores no 3-4-3, o esquema da “moda” no mundial da Rússia. Confira:

Kasper Schmeichel (Dinamarca)

Filho do lendário Peter Schmeichel, Kasper Schmeichel demonstrou muita competência e segurança na meta dinamarquesa. O goleiro sofreu apenas um gol no mundial e foi importante na classificação da sua seleção as oitavas de final.

Andreas Granqvist (Suécia)

Um dos mais experientes da seleção sueca, Andreas Granqvist além de cumprir bem seu papel na defesa, roubando bolas e ganhando quase todas bolas aéreas, o zagueiro teve participação importante na classificação de sua seleção ao marcar dois gols de pênaltis.

Thiago Silva (Brasil)

Um dos mais criticados em 2014, apesar de não estar em campo contra a Alemanha, Thiago Silva vem dando a volta por cima na Copa do Mundo da Rússia. O zagueiro é uma das referências da defesa brasileira, que sofreu apenas um gol até o momento.

Yerri Mina (Colômbia)

O ex-Palmeiras não atuou na estreia e a Colômbia acabou sendo surpreendida pelo Japão. No segundo jogo ganhou a posição na zaga e brilhou. Tanto atrás, quanto na frente ao anotar dois gols importantes contra Polônia e Senegal.

Mina, Colômbia

Héctor Herrera (México)

Campeão olímpico com o México em 2012, Herrera é uma das referências no meio de campo da seleção desde então. E no mundial da Rússia não é diferente. O jogador vem se destacando pela eficiência na distribuição de bola e marcação, como na partida contra a Alemanha.

Denis Cheryshev (Rússia)

O meia iniciou a Copa do Mundo no banco de reservas. Mas, logo nos primeiros minutos de jogo contra a Arábia Saudita teve que substituir Dzagoev, lesionado. E ele soube aproveitar a oportunidade. Marcou três gols e ajudou os anfitriões a se classificarem.

Luka Modric (Croácia)

Autor de dois gols na primeira fase, sendo um anotado na boa vitória contra a Argentina, o camisa 10 é quem dita o ritmo de jogo da Croácia e foi um dos responsáveis pelos 100% de aproveitamento da sua seleção.

Philippe Coutinho (Brasil)

Nem Neymar, muito menos Gabriel Jesus. O grande nome do ataque brasileiro até o momento no mundial foi Philippe Coutinho. O camisa 11 anotou dois importantes gols, contra Suíça e Costa Rica, além de dar uma bela assistência para Paulinho, no duelo contra a Sérvia.

Cristiano Ronaldo (Portugal)

CR7 perdeu pênalti na partida contra o Irã e quase eliminou sua seleção do mundial. Porém, nas duas primeiras partidas, o atacante do Real Madrid brilhou, especialmente, na estreia diante da Espanha, quando marcou três gols.

Romelu Lukaku (Bélgica)

A Bélgica enfrentou Tunísia e Panamá na primeira fase e o atacante Lukaku soube aproveitar a fragilidade dos adversários para se destacar. O camisa 9 entrou em campo para fazer gols e não decepcionou. Marcou quatro.

Harry Kane (Inglaterra)

Em apenas dois jogos disputados – foi poupado contra a Bélgica na terceira rodada, o “Furacão” marcou cinco gols e terminou a fase de grupos como artilheiro. Oportunista, frio e com uma pitada de sorte, o camisa 9 é o grande nome da seleção inglesa.

Confira a cobertura completa da Copa 2018!