Com gols de cabeça, Inglaterra vence Suécia e volta às semifinais depois de 28 anos

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 07/07/2018 13h00 - Atualizado em 07/07/2018 19h53
EFEDele Alli comemora o gol marcado no segundo tempo da vitória da Inglaterra sobre a Suécia

28 anos depois a Inglaterra está de volta as semifinais da Copa do Mundo. Jogando em Samara, o English Team bateu a Suécia neste sábado (7) pelo placar de 2 a 0 e agora aguarda a definição do próximo adversário, que sairá do duelo entre Rússia e Croácia, marcado para logo mais, às 15 horas, em Sochi.

Os responsáveis pela classificação inglesa foram o zagueiro Maguire e o meia Dele Alli, que marcaram de cabeça, além do goleiro Pickford, que fez grandes defesas ao longo da partida. O artilheiro da Copa, Harry Kane, que balançou as redes seis vezes até agora, passou em branco pela primeira vez, já que não entrou em campo na derrota para a Bélgica por 1 a 0.

A Suécia por sua vez ao menos pode comemorar o seu melhor desempenho desde o terceiro lugar de 1994. Desde então, a equipe tinha caído nas oitavas duas vezes, em 2002 e 2006, e ficou de fora das outras três edições do torneio.

O jogo

Gareth Southgate decidiu manter o time que venceu a Colômbia por 4 a 3 nos pênaltis, após o empate em 1 a 1 no tempo regulamentar, para o duelo contra a Suécia, que por sua vez, não pode contar com o lateral Mikael Lustig. Emil Krafth o substituiu. Já o volante Larsson retornou após ter cumprido suspensão na vitória sobre a Suíça por 1 a 0 nas oitavas de final.

A campeã mundial de 1966 começou o jogo em cima, mas errava o último passe. Aos cinco minutos do primeiro tempo, Krafth errou na saída de bola, Dele Alli recolheu e tocou em profundidade procurando Kane, mas exagerou na força. Em seguida, aos dez, Walker tabelou com Lingard e cruzou nas mãos do goleiro Olsen.

Na base da ligação direta, a Suécia incomodou pela primeira vez aos 12. Maguire foi mal no corte, Claesson ficou com a sobra e arriscou de fora da área, mas encobriu a meta.

Em um jogo amarrado, a velocidade de Sterling era a válvula de escape dos ingleses. Aos 18, o camisa 10 acelerou pela direita e serviu Kane, que emendou uma finalização de primeira e passou rente a trave. Mais tarde, aos 28, o atacante do Manchester United tocou para Ashley Young, também dos Diabos Vermelhos, que cruzou. A defesa afastou, Lingard ficou com a sobra e desperdiçou o ataque com um levantamento ruim.

Um minuto depois, a Inglaterra abriu o placar no que vem sendo a origem de muitos gols nesta Copa. Young cobrou escanteio no meio da área, Maguire subiu mais que Forsberg e cabeceou no canto direito baixo para fazer 1 a 0.

O English Team poderia ter aumentado a diferença ainda antes do intervalo, mas Sterling cometeu duas falhas determinantes. Nas duas ocasiões, aos 43 e aos 44, o atacante ficou cara a cara com Olsen e parou no goleiro. Se serve de atenuante, a primeira jogada foi paralisada por marcação de impedimento.

A Suécia voltou do intervalo tentando sufocar e ficou perto do empate logo com um minuto. Augustinsson conseguiu espaço para cruzar, Berg cabeceou firme e Pickford fez linda defesa, rebatendo para o lado.

O momento era bom para a vice-campeã de 1958, mas aos 12 minutos veio o balde de água fria. Lingard, que vinha tendo atuação discreta, cruzou de primeira da direita, Dele Alli apareceu nas costas da zaga e cabeceou com firmeza para aumentar a diferença.

Em busca de um gol que incendiasse o jogo, a Suécia trabalhou bem a jogada aos 16. A bola foi de pé em pé até Berg fazer o pivô e Claesson bater firme por baixo. Pickford espalmou e a zaga completou afastando.

O goleiro do Everton voltou a brilhar aos 25. Guidetti, que instantes antes substituíra Toivonen, disparou pela esquerda e cruzou na medida para Berg, que emendou bonito chute, mas parou no camisa 1 inglês.

A partir de então, a Inglaterra administrou o resultado mantendo a bola no campo de ataque, mesmo que sem criar muitas oportunidades para ampliar. Aos 33, Kane ajeitou de para Walker, que devolveu para a área procurando Sterling, mas a defesa cortou.

Mais tarde, aos 43, o próprio Sterling foi lançado na esquerda da área, mas se enrolou com Delph. A Suécia ainda teve uma última chance para diminuir aos 44, em cobrança de falta de Augustinsson a um passo da área. Contudo, a bola foi por cima do travessão.

Ouça os gols da partida: