Duelo entre Mbappé e forte zaga do Uruguai abre quartas da Copa

  • Por EFE
  • 05/07/2018 13h26 - Atualizado em 05/07/2018 14h23
EFE/Lavandeira jr Para frear Mbappé no estádio Nizhny Novgorod, do outro lado, estará a zaga uruguaia, que só sofreu um gol nas quatro partidas que disputou nesta Copa

Uruguai e França farão nesta sexta-feira o primeiro jogo das quartas de final da Copa do Mundo, no estádio Nizhny Novgorod, em uma partida que promete o duelo entre a explosão do atacante Kylian Mbappé e o forte sistema defensivo do Uruguai, um dos melhores do Mundial.

Na partida contra a Argentina, pelas oitavas, o atacante francês fez a diferença dentro de campo com seu condicionamento físico deixando a zaga argentina para trás. Antes, na arrancada que provocou o pênalti e o primeiro gol da seleção francesa. Depois, com dois gols marcados que começaram em jogadas de muita velocidade e que acabaram com o sonho argentino de passar às quartas pela quarta vez seguida.

Para frear Mbappé no estádio Nizhny Novgorod, do outro lado, estará a zaga uruguaia, que só sofreu um gol nas quatro partidas que disputou nesta Copa, mesmo número que a do Brasil, e que tem um esquema de jogo que não facilita a velocidade do jogador do Paris Saint-Germain.

A Celeste tem uma equipe sólida, que forma uma barreira em seu setor defensivo, marca em cima e não deixa espaços para os rivais jogarem. Um desafio a ser vencido pela equipe de Didier Deschamps.

Para a partida, o técnico dos ‘Bleus’ terá apenas um desfalque: o volante Blaise Matuidi, que cumprirá suspensão após ter recebido dois cartões amarelos. Para seu lugar, Deschamps tem três opções: Corentin Tolisso, Steven N’Zonzi e Thomas Lemar. A expectativa da imprensa francesa é de que Tolisso, titular na vitória sobre a Austrália na estreia, fique com a vaga.

Durantre as entrevistas dessa semana, o também atacante francês Antoine Griezmann declarou seu carinho pelo Uruguai e disse que a partida era um “desafio sentimental para ele”. O atleta do Atlético de Madrid revelou se sentir “meio uruguaio” e ter vários amigos do país que foram importantes em sua trajetória, entre eles, o zagueiro Diego Godín, companheiro de time nos ‘Colchoneros’ e padrinho de sua filha. Mas a declaração foi contestada por Luis Suárez.

“Ainda que Antoine diga que é meio uruguaio, ele é francês e não sabe na realidade o que é o sentimento uruguaio, a entrega e esforço que fazemos desde pequenos para vencer no futebol. Isso nós sentimos. Ele tem o costume, forma de falar, mas sentimos de outra maneira”, retrucou ‘Luisito’ em coletiva de imprensa.

Com esse espírito combativo, o Uruguai tentará voltar a uma semifinal de Copa do Mundo oito anos após o quarto lugar obtido na África do Sul. Para seguir na busca pelo título, o técnico Óscar Tabárez deverá repetir dez dos 11 titulares do duelo do fim de semana.

O atacante Edinson Cavani, que lesionou a panturrilha esquerda depois de ter marcado dois gols contra Portugal e ficou fora dos treinamentos desta semana, dificilmente terá condições de jogo. Ele até treinou com bola nesta quinta, mas deverá ser substituído por Christian Stuani.

Prováveis escalações:

Uruguai: Muslera; Cáceres, Giménez, Godín e Laxalt; Torreira, Vecino, Nández e Bentancur; Suárez e Stuani. Técnico: Óscar Tabárez.

França: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernández; Kanté, Pogba e Tolisso; Mbappé, Griezmann e Giroud. Técnico: Didier Deschamps.

Árbitro: Nestor Pitana (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Hernan Maidana e Juan Belatti.

Estádio: Nizhny Novgorod, em Nizhny Novgorod.

Acompanhe a cobertura completa da Copa 2018 pela Jovem Pan