Maduro pede pelo fim do racismo na Europa ao parabenizar a França pelo título

  • Por EFE
  • 17/07/2018 08h42
Jeso Carnero/Flickr/CC"Tomara que a Europa receba essa mensagem", disse o presidente venezuelano

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu nesta segunda-feira (16) pelo fim do racismo contra os africanos na Europa, ao parabenizar a seleção francesa pelo título da Copa do Mundo da Rússia, lembrando que a equipe contava com vários jogadores com origem daquele continente.

“A equipe da França venceu, mas parecia uma equipe da África. Mas a África realmente saiu vencedora, com os imigrantes que jogaram pela França”, disse Maduro, durante um ato de governo em Caracas, transmitido pela televisão estatal “VTV”.

“Tomara que a Europa receba essa mensagem. Chega de racismo na Europa contra os povos africanos, basta de discriminação contra os imigrantes”, completou.

A França conquistou ontem o bicampeonato mundial ao derrotar, no estádio Luzhniki, em Moscou, a Croácia por 4 a 2.

Paul Pogba e Kylian Mbappé, nascidos na França mas de ascendência guineense e camaronesa, respectivamente, marcaram um gol cada na decisão, ajudando no triunfo da seleção dirigida por Didier Deschamps.

Mbappé, de 19 anos, também recebeu o prêmio de revelação da Copa do Mundo.

“Quanto eles desprezaram a África, a saquearam, e na Copa do Mundo, a França conquista o campeonato graças aos jogadores africanos ou filhos de africanos”, comentou o presidente venezuelano.

Maduro também observou que o Mundial da Rússia pode ser considerado o “melhor” de todos os tempos e parabenizou o presidente Vladimir Putin pelo sucesso da competição.

Acompanhe a cobertura completa da Copa do Mundo pela Jovem Pan