Peru pressiona, Cueva desperdiça pênalti e Dinamarca vence na estreia

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2018 14h55 - Atualizado em 16/06/2018 16h21
EFEEm contra-ataque mortal, Poulsen marca e garante vitória da Dinamarca sobre o Peru

36 anos depois o Peru voltou a disputar uma partida de Copa do Mundo. Neste sábado (16), a seleção sul-americana enfrentou a Dinamarca no estádio em Saransk, mas não conseguiu evitar a derrota. Mesmo com apoio da torcida, que era maioria nas arquibancadas, a presença de Paolo Guerreiro em campo e um pênalti a favor, os peruanos perderam por 1 a 0.

Os dinamarqueses, que tentam repetir a boa campanha feita no mundial de 1986, quando foram apelidados de “Dinamáquina”, não deram espetáculo, mas foram eficientes. Souberam controlar a pressão adversária e quando tiveram a chance de balançar a rede, não desperdiçaram – Poulsen foi o autor do gol da vitória.

Com o resultado, a Dinamarca divide a liderança do grupo C do mundial junto com a França, que mais cedo bateu a Austrália por 2 a 1. As seleções voltam a jogar na próxima quinta-feira (21). Às 9 horas, em Samara, a Dinamarca enfrenta a Austrália e ao meio-dia, em Ecaterimburgo, o Peru pega a França.

O jogo

Empolgado com o retorno ao mundial, o Peru começou pressionando os dinamarqueses. Maioria no estádio Saransk, a torcida peruana empurrou a seleção comandada por Ricardo Gareca desde o apito inicial. Tanto que aos 7 minutos, Yotún quase abriu o placar, ao arriscar um chute da intermediária. A batida forte, porém, parou na defesa de Schmeichel.

Cinco minutos depois foi a vez de Carrillo exigir mais uma defesa do goleiro da Dinamarca. O camisa 18 recebeu no lado direito do ataque, puxou para o meio e bateu forte, cruzado. O chute forte foi espalmado para o lado e depois afastado pela zaga dinamarquesa.

Aos poucos o ímpeto peruano diminuiu e os adversários conseguiram equilibrar o jogo. Trocando passes no meio de campo, o time do treinador Åge Hareide teve dificuldade para passar pela segunda linha de marcação do Peru e foi chegar ao gol de Gallese através de chutes de longa distância.

Aos 26 minutos, Delaney recebeu na intermediária, com um pouco de liberdade, ajeitou e bateu para o gol. A bola passou com perigo sobre a meta do goleiro peruano. Aos 38 foi a vez do craque Eriksen arriscar, mas a cobrança de falta do camisa 10 ficou na barreira. Na sobra, Schöne emendou para o gol e Gallese defendeu em dois tempos.

Nos minutos finais, o Peru voltou a assustar, também através da troca de passes. Aos 43, Cueva conseguiu infiltrar na defesa adversária, recebeu dentro da área e ao limpar a marcação foi derrubado. O árbitro Bakary Gassama pediu auxílio do vídeo e após rever o lance assinalou o pênalti. Porém, na cobrança, o próprio Cueva isolou e mandou a bola na arquibancada.

Cueva isola a cobrança e desperdiça a oportunidade de abrir o placar para o Peru

Os peruanos sentiram a chance desperdiçada pelo camisa 8 antes do intervalo e viram a Dinamarca voltar melhor na etapa final. Os europeus passaram a ditar o ritmo da partida e chegar com maior intensidade no ataque.

Primeiro Delaney, depois Eriksen assustaram o goleiro Gallese. Mas, coube ao atacante Poulsen abrir o placar no estádio Saransk, aos 13 minutos. A jogada do gol começou com Sisto, que partiu do campo de defesa e ligou Eriksen. O camisa 10 passou para Poulsen, que recebeu com liberdade para bater e estufar a rede.

Em desvantagem no placar, Ricardo Gareca promoveu a entrada de Paolo Guerrero. E o camisa 9 de uma dinâmica maior ao Peru. Aos 18, o atacante cabeceou com perigo após cruzamento de Carrillo. Aos 26, Carrillo levantou novamente na área e Schmeichel desviou a bola que ia em direção ao jogador do Flamengo.

Cinco minutos depois, Guerrero quase marcou um golaço. Após ser acionado por Cueva dentro da área, o atacante fez o pivô e mesmo sem espaço, tocou de calcanhar para o gol. A bola passou rente a trave, para alívio dos dinamarqueses.

A última chance peruana de igualar o placar aconteceu aos 40 minutos, com o experiente atacante Farfán. Após boa jogada pela direita de Advíncula, o lateral invadiu a área e cruzou rasteiro para o camisa 10, que bateu forte para a defesa de Schmeichel, grande responsável pelo resultado.

Ouça a narração do gol: