Polêmico jogador do PSG pede que Deschamps saia da seleção francesa após título na Copa

  • Por EFE
  • 17/07/2018 11h27
Reprodução / TwitterBen Arfa não gosta do estilo de jogo da França

O atacante francês Hatem Ben Arfa, que pertence ao Paris Saint-Germain, pediu a demissão do técnico dos “Bleus”, Didier Deschamps, que conquistou título mundial há dois dias, por acreditar que o futebol apresentado pela seleção na Rússia foi ruim.

O jogador, que vive lítigio com o clube da capital desde meados do ano passado, fez o apelo em coluna publicada na revista “France Football”, em que admite ser um “desmancha-prazeres” de comemorações.

“Seria perigoso se esconder atrás da segunda estrela, para transformar o futebol dos ‘bleus” em referência mundial. O estilo e a identidade ultrapobre dos franceses são bastante feios”, lamentou o atacante.

Ben Arfa garantiu que não gostaria que a forma da seleção francesa entender o futebol se tornasse “moda” nos centros de formação locais, após a conquista do Mundial.

“Eram especuladores que apostavam, sobretudo, nos erros dos adversários. Uma tática que não é espetacular, mas é muito eficaz”, disse o jogador do Paris Saint-Germain.

Para o atacante, apesar do título conquistado neste domingo, com vitória na decisão sobre a Croácia por 4 a 2, a França não está “a salvo” de ser surpreendida nas Eliminatórias para a Eurocopa de 2020, que serão iniciadas em março do ano que vem.

“Enfrentarão muito adversários que o esperarão na defesa, para aplicar-lhes a própria armadilha”, previu.

Para Ben Arfa, os “Bleus” podem apresentar futebol mais vistoso, já que conta com talentos como Antoine Griezmann, Kylian Mbappé, Nabil Fekir e Ousmane Dembélé, por isso gostaria de ver Deschamps saindo de cena “no topo”, depois de conquistar a Copa.

“Seu sucessor teria que aproveitar o potencial técnico para libertar o talento e criar uma identidade de jogo bonito à francesa, como a dos brasileiros, para que não comemoremos só com os resultados”, concluiu o jogador, sem apontar nomes preferidos para comandar os campeões mundiais.