Rússia bate Egito com Salah em campo e fica próxima da classificação

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2018 16h50 - Atualizado em 19/06/2018 17h17
EFE Denis Cheryshev comemora o gol marcado no triunfo da Rússia sobre o Egito, em São Petersburgo

Rússia e Egito voltaram a entrar em campo na Copa do Mundo nesta terça-feira (19). Jogando em São Petersburgo, os donos da casa contaram com o apoio da torcida para superar os egípcios, que tiveram a volta de Mohamed Salah entre os titulares. O faraó, grande esperança da seleção africana e que vinha se recuperando de uma lesão no ombro, teve uma atuação discreta e não conseguiu impedir a derrota por 3 a 1.

O resultado praticamente garantiu a Rússia nas oitavas de final – a definição da classificação antecipada depende do placar do duelo entre Uruguai e Arábia Saudita, marcado para o meio-dia desta quarta-feira (20). Já o Egito, precisa de uma combinação de resultado desta partida para continuar vivo no mundial.

As seleções do grupo A voltam a entrar em campo na próxima segunda-feira (25). Em Samara, o Uruguai encara a Rússia, e, em Volgogrado, a Arábia Saudita joga contra o Egito. As duas partidas serão disputadas às 11 horas.

O jogo

Poupado na estreia, Mohamed Salah entrou pela primeira vez em campo nesta terça. E mesmo com a presença do faraó, os russos não se intimidaram e foram para cima dos egípcios nos minutos iniciais. O objetivo do time comandado pelo técnico Cherchesov era pressionar os adversários, assim como aconteceu contra a Arábia Saudita, na primeira rodada.

Cheryshev, que entrou no primeiro jogo da Rússia e foi mantido entre os titulares, era um dos jogadores que mais incomodavam a defesa do Egito, ao lado de Golovin. A primeira finalização, inclusive, foi feita pelo camisa 17, que arriscou um chute da entrada da área, mandando a bola pelo lado direito da meta defendida por El Shenawy.

Aos poucos o Egito foi equilibrando a partida e conquistando espaço no campo de ataque. O rápido e habilidoso Trezeguet assustou o goleiro Akinfeev em duas oportunidades. Na primeira, aos 19, mandou a bola no canto esquerdo do goleiro russo. A bola passou rente a trave. A segunda, aos 26, o camisa 21 chutou sobre o gol, sem tanto perigo.

A Rússia tentou responder, mas encontrou dificuldade para infiltrar na defesa egípcia. Restou então aos donos da casa alçar bolas na área. E eles abusaram da jogada. Dzyuba, que também ganhou vaga entre os titulares, era o mais acionado, mas diferente do que aconteceu na primeira partida, o atacante não teve sucesso e o placar seguiu intacto.

Fathi tenta cortar e manda a bola para dentro do próprio gol

As duas seleções voltaram sem modificações para a etapa final. Mas, logo na primeira chegada da Rússia ao ataque, a rede balançou. E o gol saiu após uma infelicidade do zagueiro Fathi, que tentou cortar um chute de Zobnin e acabou mandando a bola para o fundo da meta do goleiro El Shenawy.

A pressão aumentou no Egito. Precisando da vitória, os africanos foram para cima, porém antes de assustarem o goleiro Akinfeev, acabaram sendo vazados novamente. Aos 13, Mario Fernandes fez grande jogada pelo lado direito do ataque e cruzou rasteiro para trás, na direção de Cheryshev, que livre de marcação bateu de primeira e marcou.

O gol animou ainda mais os russos, que voltaram a marcar três minutos depois. O atacante Dzyuba recebeu lançamento longo de Mário Fernandes na entrada da área, dominou no peito, tirou da marcação e bateu no canto de El Shenawy. Festa do camisa 22 e dos russos presentes no estádio de São Petersburgo.

Em desvantagem no placar, Héctor Cúper promoveu duas mudanças na seleção egípcia. Warda e Sobhi entraram em campo e as substituições ajudaram os africanos a diminuir a diferença. Porém, a reação veio com Salah. Aos 26, o camisa 10 foi derrubado na área e após consulta ao VAR, o pênalti foi marcado. Na cobrança, o atacante mandou no canto esquerdo de Akinfeev.

Salah cobra o pênalti no canto esquerdo de Akinfeev e diminui a desvantagem no placar

Cinco minutos depois, o Egito voltou a pedir um novo pênalti. Ao disputar a bola dentro da área, Mohsen caiu e alegou ter sido puxado pelo zagueiro russo. O árbitro ignorou a reclamação e mandou o jogo seguir. Os africanos permaneceram no ataque, mas não conseguiram marcar novamente, mantendo o placar em 3 a 1 para a Rússia.

Ouça os gols da partida: