Southgate vê Inglaterra com “fome” para ir à final

  • Por EFE
  • 10/07/2018 16h35
VASSIL DONEV/EFESouthgate destacou superação dos ingleses

O técnico Gareth Southgate definiu nesta terça-feira (10) o confronto contra a Croácia, pelas semifinais da Copa do Mundo, como uma grande oportunidade para a Inglaterra voltar a disputar uma final do torneio – o que só aconteceu em 1966, quando, em casa, se sagrou campeã. Ele vê os jogadores com “fome” para cumprir este objetivo.

Em entrevista coletiva no Estádio Luzhniki, palco do confronto, Southgate afirmou que pediu aos jogadores para continuarem jogando da mesma forma, tentando aproveitar tudo o que fizeram até aqui. Com todos os jogadores disponíveis, o treinador tenta repetir Sir Alf Ramsey e recolocar o time inglês na decisão de uma Copa após 52 anos.

“Não sabemos até onde chegaremos, mas é evidente que todos os jogadores têm fome. Estamos orgulhosos do nosso estilo, do modo como competimos sob pressão e de como superamos as situações mais difíceis”, avaliou o treinador, de 47 anos.

O ex-jogador garantiu que todos estão tentando manter o ambiente o mais normal possível, mesmo um dia antes do duelo histórico.

“A nossa preparação foi idêntica. Acredito que não se deve mudar as coisas quando funcionam. Nas duas últimas partidas, atingimos um nível muito alto, e o desafio agora é dar continuidade”, argumentou.

Southgate até se arriscou a comparar o elenco atual com o time que foi campeão em 1966, em torneio disputado na própria Inglaterra.

“Aquele time tinha mais experiência, com seis jogadores que eram capitães em seus clubes. Mas acho que nos dois últimos anos – desde a eliminação nas oitavas de final da Eurocopa -, a equipe evoluiu muito. Grandes decepções são parte do aprendizado”, sentenciou.

Por fim, Southgate falou do adversário desta quarta-feira, que tenta chegar de forma inédita a uma final de Copa.

“Será, sem dúvida, um grande teste para nós. A Croácia, apesar de ser uma nação pequena, conta com jogadores incríveis, com grande qualidade. Mas estamos nas semifinais de um Mundial, portanto não podíamos esperar algo diferente”, finalizou. EFE