A ‘Copa das Copas’ em números: grande média de gols e poucos cartões

  • Por Bruno Bataglin/Jovem Pan
  • 14/07/2014 17h05
Phillip Lahm levanta a taça da Copa do Mundo com seus companheirosConfira todas as imagens da final da Copa entre Alemanha e Argentina

A Copa do Mundo de 2014 chegou ao fim neste domingo (13), quando a Alemanha ficou com o título após vencer a Argentina, na prorrogação, por 1 a 0. E o Mundial no Brasil teve momentos importantes, como a goleada dos alemães sobre a Seleção Brasileira na semifinal, pelo placar de 7 a 1, e a mordida do atacante uruguaio Luis Suárez no zagueiro italiano Chiellini. Mas, mais do que isso, a competição teve muitos gols.

Ao todo, em 64 partidas disputadas ao longo de todo o torneio, foram marcados nada menos do que 171 gols, o que representa uma média de 2,67 gols por jogo. O número igualou a média de gols da Copa de 1998, realizada na França.

Os grandes responsáveis por essa grande média de gols foram, claro, os artilheiros. Quem mais fez sua torcida pular neste Mundial foi James Rodríguez, da Colômbia, que anotou seis dos 12 gols de sua seleção, que acabou caindo nas quartas de final, ao perder para o Brasil por 2 a 1.

Além do colombiano, outro jogador que deixou sua marca várias vezes foi o atacante Thomas Müller, da campeã Alemanha, sendo ele o responsável por cinco dos 18 gols de sua equipe.

Levando em conta os números por seleções, a Alemanha foi o time que mais marcou gols, com 18, ficando à frente de Holanda (15), Colômbia (12), Brasil (11) e França (10). Entre os times que menos sofreram gols estão a Costa Rica, com dois, além de França e Bélgica, que sofreram três gols cada. Vale lembrar que esses times citados disputaram apenas cinco jogos.

Entre as seleções que disputaram sete jogos (seja o sétimo a final ou a decisão de terceiro lugar), Alemanha, Argentina e Holanda sofreram quatro gols cada, dez a menos do que a Seleção Brasileira, que também entrou em campo sete vezes, mas sofreu 14 gols, sete deles só no duelo contra os alemães.

A média de cartões também foi bem menor do que no Mundial da África do Sul. No total, foram 181 amarelos na Copa no Brasil (média de 2,82), contra uma média de 3,8 no Mundial de 2010.

Em relação aos cartões vermelhos, foram apenas dez distribuídos ao longo de toda a Copa. Já no Mundial de 2010, foram 17 vermelhos.

As seleções mais indisciplinadas foram Holanda e Brasil, com 126 e 123 faltas feitas, respectivamente. Ambas não tiveram jogadores expulsos, mas a Holanda tomou 11 amarelos enquanto que o Brasil tomou 14, sendo os dois times os que mais foram advertidos no torneio.

O jogador que mais tomou cartões amarelos foi Thiago Silva, zagueiro da Seleção Brasileira, com três. Os expulsos diretamente foram Antonio Valencia, do Equador, Alexandre Song, de Camarões, Pepe, de Portugal, Maximiliano Pereira, do Uruguai, Claudio Marchisio, da Itália, Ante Rebic, da Croácia, e Steven Defour, da Bélgica. Já os atletas expulsos pelo segundo amarelo foram Wilson Palacios, de Honduras, Konstantinos Katsouranis, da Grécia, e Oscar Duarte, da Costa Rica.