Corinthians 105 anos: os ídolos que transformaram o time em “Timão”

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2015 18h13
Meias e atacantes estão entre os maiores ídolos da história do Corinthians

Os 105 anos de história do Corinthians, completados nesta terça-feira, 1º de setembro, foram marcados por grandes conquistas dentro do futebol brasileiro e mundial. Essas conquistas só foram possíveis por conta de atuações de grandes craques, que marcaram época com a camisa alvinegra. Para homenagear o clube paulista e seus ídolos, o Jovem Pan Online relembra agora a história de cinco deles.

Rivellino

Mesmo tendo feito a maior parte de sua passagem pelo Corinthians durante a longa fila sem títulos, entre 1954 e 1977, e ter saído poucos anos antes do seu fim, Roberto Rivellino conseguiu ser ídolo indiscutível da Fiel. Em quase 500 partidas pelo clube, Riva marcou época com sua abençoada perna esquerda, especializada em lançamentos longos, chutes potentes e cobranças de falta certeiras. Foi também titular da Seleção Brasileira na Copa de 1970 e tem um busco em sua homenagem no Corinthians.

Sócrates

O Doutor foi um dos maiores expoentes da história do Corinthians. Disputou quase 300 partidas pelo clube entre 1978 e 1984, depois de despontar no Botafogo de Ribeirão Preto, e foi campeão paulista em três oportunidades. Entretanto, além de ter sido um dos grandes craques de sua geração, Sócrates liderou o movimento que ficou conhecido como “Democracia Corintiana”, que fazia oposição à ditadura militar e contribuiu para a identificação do Corinthians como um time do povo.

Marcelinho Carioca

Se Rivellino e Sócrates se tornaram ídolos mesmo sem colecionar troféus de expressão pelo Timão, Marcelinho Carioca “ostentou” conquistas em suas três passagens pelo clube, especialmente nas duas primeiras. O Pé de Anjo, apelido ganho por conta do tamanho pequeno de seus pés, era gigante nas cobranças de falta, sua especialidade. Com elas, ajudou o Corinthians a vencer o Paulistão em quatro oportunidades, o Brasileiro em duas, a Copa do Brasil uma vez e o Mundial de Clubes de 2000.

Neto

José Ferreira Neto foi um herói para o Corinthians em 1990, quando o clube conquistou o Campeonato Brasileiro pela primeira vez em sua história. Comandando um time com elenco limitado, o meia foi fundamental na fase mata-mata, quando o Timão superou Atlético-MG, Bahia e São Paulo. Além disso, seu jeito simples e determinado causou empatia na Fiel, que o adotou como ídolo em sua passagem entre 1989 e 1993.

Tevez

Para a atual geração de torcedores do Corinthians, o argentino talvez seja a maior referência quando pensam em ídolos que eles puderam ver jogar. Comprado junto ao Boca Juniors em 2005 com a ajuda da MSI, Carlitos identificou-se prontamente com a torcida alvinegra por conta de sua forma de jogar, com muita raça e dedicação. Foi fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano.

Confira as outras matérias do especial dos 105 anos de Corinthians:

Invasão, fim da fila, gol de Romarinho: os momentos marcantes da história do aniversariante Corinthians

A força da base: os craques que o Timão formou em seus 105 anos de história

Não é só alegria: as decepções e os vexames que mancharam os 105 anos de história do Corinthians

Sofrimento, paixão e redenção: os motivos pelos quais ser corintiano é algo especial