Corinthians chegava ao topo do mundo pela primeira vez há 15 anos; relembre!

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2015 16h45
Montagem - Corinthians Mundial 2000

Há exatos 15 anos o Corinthians conquistava um dos títulos mais importantes de sua história. No dia 14 de janeiro de 2000, o Timão, comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira, bateu o Vasco, de Edmundo e Romário, nos pênaltis e foi o primeiro campeão de um torneio Mundial organizado pela Fifa. Competição essa que contou com times de diversos continentes do planeta, entre eles os poderosos Real Madrid e Manchester United.

A disputa contava com dois grupos, sendo Real Madrid, Corinthians, Al-Nassr (Arábia Saudita) e Raja Casablanca (Marrocos) os integrantes de uma chave e Manchester United, Vasco, Necaxa (México) e South Melbourne (Austrália) os componentes da outra. Os campeões dos grupos fariam a grande final, que seria disputada no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Organizado pela Fifa, o torneio pretendia ser um molde para as competições mundiais, extinguindo assim a Copa Intercontinental (torneio que contava com um jogo único entre o campeão da América do Sul e o campeão europeu). Contudo, outra edição respaldada pela entidade voltou a ser disputada apenas em 2005. A partir daí, o torneio ganhou padrão e hoje conta com os campeões de diferentes continentes.

Relembre a campanha corintiana até o topo do mundo:

Corinthians 2 x 0 Raja Casablanca – Morumbi – 05/01/2000

O Corinthians iniciou o ano de 2000 com muitos motivos para comemorar. O time havia acabado de se sagrar bicampeão brasileiro e, com um elenco recheado de grandes nomes como Dida, Marcelinho Carioca, Rincón, Ricardinho, Edílson e Luizão, sonhava em ganhar um título importante no âmbito mundial.

O primeiro desafio era o desconhecido Raja Casablanca do Marrocos. No Morumbi, o Timão enfrentou problemas na estreia e não conseguiu alterar o placar da partida na etapa inicial. Contudo, logo no início do segundo tempo, Marcelinho fez boa jogada e cruzou na cabeça de Luizão, que abriu a contagem. Pouco depois, Fabio Luciano aproveitaria boa chance para ampliar e dar a primeira vitória alvinegra na competição.

Real Madrid 2 x 2 Corinthians – Morumbi – 07/01/2000

A segunda a partida era a mais temida da fase de grupos da competição. Enfrentar o temido Real Madrid, de Roberto Carlos, Fernando Hierro, Sávio, Raul e companhia, não era missão fácil para nenhum time no mundo. Anelka mostraria isso logo aos 19 minutos do primeiro tempo quando, após cobrança de falta de Roberto Carlos, abriu o placar para os merengues. Pouco depois, a resposta alvinegra veio. Edilson tabelou com o Luizão e venceu Casillas para igualar o marcador. 

Muitas emoções ainda estariam reservadas para a etapa final. Em um jogo franco, foi o Corinthians que conseguiu a virada. Após passe de Ricardinho, Edílson recebeu, encarou Karembeu e, depois de lindo drible entre as pernas do defensor francês, fuzilou Casillas e fez a festa corintiana no Morumbi, golaço para entrar para a história como um dos mais bonitos e importantes do clube. Antes do fim, Anelka ainda receberia livre e empataria para os espanhois.

O empate colocava as duas equipes em igualdade no grupo, deixando a decisão de quem iria para a final para a última rodada. O corintiano parecia devastado quando, aos 36 minutos da etapa final, o árbitro assinalou pênalti em favor do Real Madrid. Anelka foi para a bola e parou em Dida, que evitou o terceiro do francês, deu vida ao Corinthians na competição e, de quebra, chegou ao quarto pênalti defendido consecutivo.

Al-Nassr 0 x 2 Corinthians – Morumbi – 10/01/2000

O duelo diante dos sauditas era essencial para o Corinthians superar o Real Madrid e conseguir uma vaga na grande final. Com um inspirado Ricardinho, o Timão abriu o placar e encaminhou a vitória, que seria decretada com o gol de Rincón, já próximo ao final da partida. O alvinegro chegava assim aos sete pontos em três jogos.

O Real Madrid, por sua vez, também venceria o seu compromisso diante do Raja Casablanca por 3 a 2. Nos critérios de desempate, o Corinthians avançou e agora teria que ir ao Rio de Janeiro enfrentar o Vasco de Romário e Edmundo para chegar ao topo do Mundo. 

Vasco 0 (3) x (4) 0 Corinthians – Maracanã – 14/01/2000

O Maracanã lotado, com mais de 73 mil pessoas, era o palco ideal para se definir quem seria a melhor equipe do planeta. Mais de 25 mil corintianos “invadiram” o Rio de Janeiro para apoiar o Timão em busca dessa conquista inédita. O Vasco, que viria ser o campeão brasileiro daquele ano, contava com grandes nomes como Mauro Galvão, Felipe, Juninho Pernambucano, Romário e Edmundo, além de ser comandado pelo experiente Antônio Lopes. 

A partida se desenhou dura como era esperado por ser um confronto entre times de tanta qualidade. A maior preocupação corintiana era parar a dupla Romário e Edmundo, enquanto os cariocas queriam minar a criatividade de Marcelinho Carioca e Ricardinho. Depois de um jogo muito parelho e um insistente 0 a 0 no placar, o título mundial teria que ser disputado nas penalidades.

Mais inteiro fisicamente, o Corinthians começou muito bem sua série. Rincón, Fernando Baiano e Luizão converteram suas cobranças. Do lado vascaíno, Romário e Alex Oliveira balançaram as redes, enquanto Gilberto foi para a bola e parou em Dida. Na quarta rodada, Edu e Viola converteram e jogaram a decisão para a última rodada. Caso Marcelinho Carioca vencesse Helton, o Corinthians se sagraria campeão. Porém, o camisa sete parou no goleiro adversário e aumentou a angústia da Fiel no Maracanã. Na última cobrança da série regular, Edmundo foi para a bola e mandou para fora, colocando o Corinthians no topo do planeta e marcando uma geração de atletas para sempre na história do clube paulista.