Corinthians descarta permanência de Guerrero; Emerson também está fora

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2015 13h24
SÃO PAULO,SP,21.10.2013:FUTEBOL/CORINTHIANS/TREINO - O jogador Paolo Guerrero durante o treino do Corinthians no CT Joaquim Grava, zona leste de São Paulo, SP, na manhã desta segunda-feira (21). A equipe se prepara para enfrentar o Grêmio RS em partida válida pela Copa do Brasil 2013. (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Folhapress) Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Folhapress Guerrero faz cara de poucos amigos durante treinamento desta segunda-feira no CT Joaquim Grava

As dificuldades financeiras do Corinthians farão a equipe passar por uma grande reformulação em seu futebol. Em entrevista coletiva o presidente  Roberto de Andrade anunciou que Guerrero e Sheik estão fora, além de comentar as renovação de Ralf, Danilo, Fábio Santos e a saída do diretor de futebol do clube, Sérgio Janikian.

Em tom de despedida, o mandatário alvinegro declarou que Guerrero não deve mesmo permanecer. “Estamos conversando com agente dele. Aviso que está muto dificil chegar a um consenso. Não é por falta de vontade do empresário, do Corinthians e do atleta. Todos gostariam que ele ficasse. Se não acontecer, que é o mais provável, porque o Corinthians não tem condição de fazer o que ele está pedindo”, disse Roberto.

A situação de Emerson Sheik é semelhante e o atacante é outro jogador que não deve permanecer. “Nós, diretoria, comissão, conversamos com o atleta e achamos por bem não renovar. O contrato acaba em julho, e ele vai seguir a vida dele. O Corinthians agradece muito o que ele fez”, disse o cartola.

Sobre as permanências de Ralf, Danilo e Fábio Santos, Roberto não quis se antecipar. “Os contratos vencem no final de dezembro. Não vamos trazer problemas que não existem. Quando chegar para resolver, vamos nos reunir com a comissão e avaliar”.

Diretor fora
Além da saída de atletas em final de contrato, o diretor de futebol, Sérgio Janikian, também não vai continuar. Roberto de Andrade revelou que teve uma conversa com o ex-diretor, que decidiu entregar o cargo.

“Pelos últimos acontecimentos, ele não está à vontade no cargo e pediu para sair. Ele é uma pessoa do bem, fico sentido. Ele não quer trazer transtornos ao grupo, para o futebol. Enfim, o Sergio não é mais diretor de futebol do Corinthians a partir de agora”.