Coritiba luta para pagar salários e revela: ainda tem dívidas com Alex

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2016 12h51

Alex se aposentou em 2014Alex se aposentou em 2014

A situação financeira do Coritiba é, de fato, bastante delicada. Em entrevista exclusiva a Flávio Prado para o Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan, o presidente do clube coxa-branca, Rogério Portugal Bacellar, admitiu que assumiu a agremiação em um momento ruim e revelou que tem lutado para quitar débitos e pagar salários. 

Eu peguei Coritiba com todas as verbas de televisão já antecipadas. Então, fico de mãos atadas para fazer muitas coisas“, explicou Bacellar, que foi eleito em dezembro de 2014, após a controversa gestão de Vilson Ribeiro de Andrade. 

O último ano de mandato do ex-presidente foi trágico do ponto de vista financeiro. A dívida consolidada do clube passou de R$ 155,7 milhões em 31 de dezembro de 2013 para R$ 203,3 milhões em 31 de dezembro de 2014. Neste período, as contas do Coritiba foram reprovadas pela primeira vez na história. 

Assim que assumiu o clube, então, Rogério Portugal Bacellar traçou como principal objetivo resgatar a saúde financeira do Coxa. “Minha gestão se propôs a, primeiro, pagar as dívidas das gestões anteriores, porque, acima de tudo, elas são do Coritiba. O importante é ter o clube zerado em dívidas e com condições de enfrentar novas dívidas”, disse.

Desde então, muitos débitos foram quitados. Coube a Bacellar, por exemplo, acertar vencimentos atrasados com técnicos como Dorival Junior, que comandou o Coritiba em 2008, Marcelo Oliveira (2011 a 2012) e Celso Roth (2014). Ainda falta, contudo, pagar atrasos ao maior ídolo da história recente do clube, que encerrou a carreira há dois anos. 

Nós ainda estamos pagando o Alex, que não foi contratado na minha gestão. Fiz um acordo com ele, porque os compromissos não haviam sido cumprido na gestão anterior“, contou Bacellar, que, para 2016, quer que a folha de pagamento do clube gire, no máximo, em torno de R$ 3 milhões. O mandatário, afinal, tem lutado para conseguir honrar os compromissos com os funcionários do Coritiba“Foram os sócios-torcedores que nos fizeram pagar os salários em dia durante o ano passado inteiro”, admitiu. 

Se o passado tornou o presente complicado, tendência é que o futuro seja mais tranquilo ao Coritiba. O clube já recebeu um importante respiro no início do ano, quando assinou novo acordo de direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, e pretende aumentar as receitas em junho, mês no qual deve fechar com novos patrocinadores. 

“Nós tivemos um aporte, em luvas, do Esporte Interativo, que foi muito importante. Criamos um comitê de gestão deste dinheiro e negociamos com os credores todas as receitas que entraram. Com isso, conseguimos um abatimento muito grande. Estamos trabalhando neste sentido. A partir de junho, vamos ter novas receitas com a entrada de novos patrocinadores. Aí, teremos condições de nos sustentar até o final da temporada”, decretou, em tom otimista.