“Cotovelada é pior que mordida”, afirma Juninho Pernambucano

  • Por Agência EFE
  • 26/06/2014 22h11
Reprodução Juninho Pernambucano - meio campo do New York Red Bulls

O ex-jogador Juninho Pernambucano classificou como “excessiva” a suspensão de nove partidas imposta nesta quinta-feira pela Fifa ao uruguaio Luis Suárez por morder o ombro do italiano Giorgio Chiellini na última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo.

“A verdade é que a punição é exagerada. Não entendo isso dos nove jogos. Foi punido para a Copa e para depois da Copa”, disse à Agência Efe o ídolo do Vasco.

Suárez, segundo o ex-jogador, “obviamente agiu mal”, mas muitas vezes, exemplificou, “é preciso levar em conta que uma mordida machuca menos que uma cotovelada”.

“Uma mordida é algo ruim em termos de educação, de mostrar uma atitude equivocada às crianças, mas não é mais violenta que uma cotovelada na cara”, comentou Juninho na Arena Corinthians, onde comentou o jogo entre Bélgica e Coreia do Sul para uma emissora de televisão.

Na opinião do ex-jogador, Suárez deve “recuperar-se deste tipo de comportamento” e a sanção poderia ter sido mais leve para permitir ao jogador a chance de voltar pelo menos nas semifinais.