Cruyff ataca Real Madrid: “c… profundamente” no caso Zidane

  • Por Agencia EFE
  • 04/03/2015 11h29

Cruyff diz que Holanda tem uma equipe muito jovem e que pode sentir a pressão

EFE Ídolo do Barcelona e da seleção holandesa

O ex-jogador holandês e ex-técnico do Barcelona Johan Cruyff usou de termos chulos para criticar o Real Madrid e disse que o clube fez besteira ao permitir que Zinedine Zidane assumisse o comando da equipe B sem ter a permissão adequada de treinador, como exige a Federação Espanhola de Futebol (RFEF).

“O Real Madrid c… profundamente. É preciso estar legalizado. Não entendo porque tudo isso apareceu dois meses depois. Isso é que me incomoda. Quem está no escritório deveria ter avisado”, criticou Cruyff em entrevista ao site “El Enganche”.

O holandês afirmou que se gerou “um problema absurdo” por causa do caso, não detectado da situação vir à tona. Para Cruyff, está claro que o clube espanhol sabia que era preciso da permissão.

“Por que não se disse antes? É falta de qualidade tanto de uns como de outros. Com todos os anos que Zidane jogou e após ter sido ajudante de Ancelotti, quem tem algo para lhe ensinar?”, questionou.

Em outubro do ano passado, Zidane chegou a ser suspenso por três meses pela RFEF por não cumprir os requisitos básicos para treinar o Real Madrid B, que disputa a terceira divisão do país.

Apesar de assinar as súmulas como auxiliar técnico, o ex-craque francês era quem comandava a equipe de fato nas partidas, em vez de Santiago Sánchez, apontado como o treinador do Real B.

Pouco depois, o Tribunal Administrativo do Esporte da Espanha concedeu efeito suspensivo a Zidane. A denúncia também foi ignorada pelo Comitê de Apelação da RFEF.

Cruyff defendeu a formação de treinadores, mas elogiou Zidane e destacou que poucos na história do futebol são como o francês.

“Há poucos que são tão bons. Então não vamos pedir que ele aprenda o que já demonstrou saber. É certo que há coisas que ele não sabe. É lógico também. Na Holanda, mudamos isso. Na Holanda mudamos isso. Fizemos que um auxiliar da seleção, casos do De Boer, do Van Basten, do Rijkaard e do Koeman, automaticamente ganhe a permissão”, afirmou o ídolo holandês, lembrando também de quando virou treinador.

“Quis tirar a carteira de técnico e pedi para fazer a prova, mas me disseram que eu tinha que estudar quatro anos antes disso. Estão loucos. Quem vai estudar quatro anos? Como alguém vai me explicar questões técnicas quando sei mais do que os professores?”, concluiu.