Cruzeiro empata com Criciúma e rivais podem se aproximar neste domingo

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2014 20h24

Marcelo Moreno disputa bola com Fábio Ferreira

Confira as imagens de Criciúma e Cruzeiro pelo Brasileirão

Em jogo muito corrido na noite deste sábado, o Cruzeiro não saiu do zero contra o Criciúma, no estádio Heriberto Hulse, em Santa Catarina. Os mineiros agora chegam aos 30 pontos e podem ver Fluminense, Internacional e Corinthians se aproximarem de sua liderança, caso vençam seus jogos, no domingo. Já os catarinenses subiram para 16 pontos, mas ainda estão próximos da zona de rebaixamento.

Os líderes do Campeonato Brasileiro bem que tentaram, marcaram duas vezes, mas ambas anuladas pelo árbitro Jailson de Freitas. Os goleiros Luiz e Fábio também apareceram bem para manter o placar zerado.

Na próxima rodada, os líderes do torneio recebem o Santos, no Mineirão, no domingo, às 16h. Já o Tigre via a Porto Alegre, onde tentará supreender o Grêmio, no mesmo dia.

Muita marcação e poucas chances de gol

As duas equipes não se arriscaram muito no início da partida. O Cruzeiro tocava mais a bola e o Criciúma buscava o contra-ataque. O primeiro lance de perigo foi dos donos da casa, aos 8, quando Serginho mandou na área e a defesa mineira vacilou, deixando Gustavo sozinho. O jovem bateu mal e desperdiçou a oportunidade de abrir o placar.

Após o susto, o time de Marcelo Oliveira tentou diminuir os espaços e começou a incomodar com a velocidade de Everton Ribeiro e a presença de Ricardo Goulart. Aos 17, Dedé cobrou falta na barreira e a bola sobrou para Goulart. O atacante dividiu com Fábio Ferreira e a jogada acabou nos pés de Marquinhos, que bateu para marcar. O árbitro Jailson Freitas marcou a falta do artilheiro do Brasileirão no defensor e anulou o gol.

O líder do torneio cresceu e voltou a assustar duas vezes em cinco minutos. Aos 21, Marquinhos recebeu no meio e mandou colocado no ângulo do goleiro adversário. Três minutos depois, Mayke cruzou e achou Moreno sozinho. O atacante se atrapalhou e quase marcou, mas Luiz salvou. No rebote, Goulart chutou e a bola explodiu no arqueiro catarinense.

Após os 30, o Tigre voltou a apertar a saída de bola mineira e dificultou a armação de jogadas do atual campeão brasileiro. Apesar disso, eles não conseguiam criar e Paulo Baier recebia bolas virado contra o ataque, sem espaço para pensar.

Com muita briga no meio, as duas equipes criaram poucas chances para incomodar Fábio e Luiz. Quem ficou mais próximo de marcar foi o Cruzeiro. Éverton recebeu com muita liberdade e mandou na cabeça de Marcelo Moreno, que cabeceou rente a trave do camisa 1 catarinense.

Raposa no ataque, Tigre na defesa

O segundo tempo continuou brigado, mas as chances de gol praticamente desapareceram. Com muitos chutões e lançamentos de ambas as partes, as jogadas mais cerebrais ficaram esquecidas.

Quem voltou melhor foram os donos da casa, que chegaram por meio das cobranças de falta de Paulo Baier. Descalibrado na noite deste sábado, o meia mandou as duas oportunidades que teve na barreira.

Vendo as dificuldades por qual passava no contra-ataque, Marcelo Oliveira mandou Willian a campo e quase abriu o placar logo depois. Aos 15, Éverton recebeu na entrada da área, cortou o marcador e mandou colocado no ângulo. O goleiro Luiz tocou o suficiente para a bola bater na trave. Na sobra, Moreno bateu cruzado e Willian mandou para o fundo da rede, mas o árbitro assinalou a posição irregular para anular novo gol cruzeirense.

O técnico Wagner Lopes decidiu tirar o veterano camisa 10 de campo e colocou o jovem Lucca para dar mais vitalidade ao meio. A substituição não agradou o meia, que nem olhou para a cara de seu comandante na saída de campo.

Aos 21, o menino cobrou falta na área, Dedé perdeu o tempo da bola e Serginho chegou finalizando para a defesa de Fábio, que salvou a meta da Raposa.

O técnico da celeste não perdeu tempo e tirou o volante Lucas Silva para mandar Dagoberto a campo e deixar o time ainda mais ofensivo e incisivo. A alteração fez a pressão mineira aumentar ainda mais e o Tigre foi se segurando como pôde e saia no contra-ataque quando possível.

Os donos da casa ficaram todos atrás para não dar espaço de criação ao Cruzeiro. Apresentando cansaço, Gustavo foi substituído por Danilo Alves no ataque aurinegro.

Aos 37, Lucca dividiu no ataque a bola sobrou para Silvinho, que mandou uma bomba no peito de Fábio, mas em impedimento. Nos 40, Serginho apareceu sozinho na grande área e cabeceou para fora, assustando a defesa mineira.

O Cruzeiro foi para cima nos minutos finais, mas não conseguiu marcar e pode ver seus adversários se aproximarem da liderança, caso vençam suas partidas no domingo.