Cruzeiro vence Mineros e fica a um empate das oitavas da Copa Libertadores

  • Por Agência EFE
  • 09/04/2015 00h32

Cruzeiro superou o Mineros-VEN por 3 a 0 e se isolou na liderança do Grupo 3 da Copa Libertadores

Cruzeiro comemora gol contra Mineros na Libertadores

Depois de um início claudicante na Taça Libertadores e ainda sem se firmar na temporada depois da conquista de dois títulos brasileiros seguidos, o Cruzeiro se aproximou das oitavas de final da competição continental nesta quarta-feira ao vencer o Mineros por 3 a 0 em Belo Horizonte.

Embora não tenha encantado, a equipe comandada por Marcelo Oliveira teve uma atuação segura e matou a partida no Mineirão com menos de 15 minutos diante de um adversário frágil, com bonitos gols de De Arrascaeta, de bicicleta, e Leandro Damião. Henrique completou o placar na etapa final.

A segunda vitória seguida na competição permitiu à Raposa reassumir a liderança do grupo 3, perdida horas antes com o empate entre Huracán e Universitário Sucre em 1 a 1 em Buenos Aires. O bicampeão da América soma oito pontos, dois a mais que o representante boliviano. Praticamente eliminado, o Mineros é lanterna, com um ponto.

Terceiro colocado, com quatro pontos, o Huracán será o próximo adversário da Raposa, que se classificará caso obtenha ao menos um empate no estádio El Palacio, na capital argentina, na próxima terça-feira. Antes disso, o campeão brasileiro voltará as atenções para o Campeonato Mineiro, em que fez campanha apenas regular na primeira fase e por isso enfrentará o rival Atlético-MG na semifinal.

O principal desfalque cruzeirense foi o meia-atacante Marquinhos, que se recupera de lesão muscular. Por outro lado, o atacante Willian voltou e já pintou no time titular, assim como o volante Willians, que retornou depois de problema físico.

Outro que não esteve no Mineirão foi o atacante Judivan, que foi convocado para defender a seleção brasileira sub-20, em um torneio na Áustria, que ainda terá a participação de Camarões, Catar e Honduras. Por causa disso, o atleta só voltará ao clube depois do dia 16 de abril.

No Mineros, a principal novidade foi o meia Rafael Acosta, que se recuperou recentemente de lesão. Contudo, ele começou no banco e entrou apenas no segundo tempo.

Desde o começo do jogo, a Raposa demonstrou que daria as cartas no Mineirão. Logo aos quatro minutos de bola rolando, Mayke levantou na cabeça de Willian, que arrematou por cima do travessão.

O gol não demorou a sair. Aos 12 minutos, Mayke dividiu pelo alto na entrada da área pela direita e encontrou De Arrascaeta, que emendou de bicicleta e, mesmo sem pegar em cheio, acertou o canto direito.

Nem bem a torcida azul celeste comemorou o primeiro e, dois minutos depois, o Cruzeiro fez 2 a 0. Mena bateu lateral, Leandro Damião girou para cima da marcação dentro da área com uma matada no peito e encheu o pé, mandando no ângulo esquerdo.

Depois de ter aumentado a vantagem, o atual bicampeão brasileiro diminuiu o ritmo, mas nem por isso deixou de ameaçar. Alisson cobrou falta sofrida por ele mesmo na esquerda e encontrou Paulo André, que cabeceou para fora, encobrindo a meta.

O Mineros enfim deu o ar da graça no campo de ataque e incomodou o goleiro Fábio aos 31 minutos. Blanco puxou contra-ataque pela ponta, levou para o meio e cruzou para Peña, que cabeceou tirando de Fábio, mas a bola passou perto da trave direita. Na resposta da Raposa, aos 32, Alisson arriscou de fora e obrigou Romo a se esticar para espalmar.

Com dificuldades na marcação, o time visitante cometia muitas faltas, algumas delas mais fortes, como a cotovelada de Vallenilla em Damião, que abriu o supercílio do centroavante, aos 41. Com a bola rolando, três minutos depois, o representante venezuelano assustou novamente, em chute de Cabello que tirou tinta da trave.

O Cruzeiro voltou do vestiário em cima, mas não conseguia finalizar com perigo. Até que aos dez minutos, em contra-ataque envolvente, Henrique apareceu na área e soltou a bomba para mais uma defesa de Romo.

Também em um contragolpe, desta vez a favor do Mineros, Fábio fez sua grande intervenção no jogo. Aos 18, Valoyes teve espaço no bico direito da área e chutou. A bola desviou em Paulo André e atrapalhou a vida do arqueiro cruzeirense, que, no entanto, conseguiu segurar.

O terceiro por pouco não saiu aos 28 minutos, em mais uma tentativa de Damião. De Arrascaeta descolou bom passe para o centroavante, que, com espaço, ajeitou e bateu rasteiro. Romo rebateu, e a defesa completou o serviço.

Logo na sequência, aos 29, porém, a linha de frente cruzeirense foi mais eficiente e aumentou a diferença com a ajuda de um homem vindo de trás. Arrascaeta bateu escanteio e Henrique marcou de cabeça, contando com desvio em Damião.

O Mineros não marcou o gol de honra, mas Valoyes esteve perto de assinar uma pintura em Belo Horizonte. Ele deu um lençol e soltou a bomba, mas errou o alvo. Um minuto depois, foi o Cruzeiro quem deveria ter tido uma chance de ouro para fazer mais um, mas o árbitro ignorou um pênalti em Gabriel Xavier.

A última oportunidade do jogo foi do Cruzeiro, com De Arrascaeta. Ele também aplicou um lençol no marcador, Velázquez, e emendou de primeira, mas também mandou para fora.