Cuiabá receberá torcedores em campings, motéis, casas e universidades

  • Por Agencia EFE
  • 24/05/2014 17h34

Humberto Frederico.

Cuiabá, 24 mai (EFE).- Diante de sua baixa capacidade hoteleira, Cuiabá iniciou um plano alternativo para receber em escolas, universidades, campings, motéis e casas particulares os turistas que irão à cidade para assistir a jogos da Copa do Mundo.

Segundo o Ministério do Turismo, 172 mil turistas brasileiros e estrangeiros deverão viajar a Cuiabá, que receberá na Arena Pantanal as partidas Chile-Austrália (13 de junho), Rússia-Coreia do Sul (17), Nigéria-Bósnia (21) e Colômbia-Japão (24), todas pela primeira fase.

O secretário de Turismo de Cuiabá, Marcus Fabricio, espera a resposta do Ministério Público para que seja autorizada a hospedagem de famílias com crianças em motéis durante a Copa.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Motéis, Restaurantes e Bares do Mato Grosso, Pedro Cruz, disse que, se a promotoria autorizar, deverão ser retirados vários móveis temáticos dos motéis, “como a tradicional cama redonda”.

“É algo novo para nós, estamos estudando as possibilidades, porque por lei é proibida a entrada de crianças nos motéis, mas se for necessário, modificaremos os ambientes para a modalidade de hospedagem tradicional”, contou Cruz à Agência Efe.

Mas existe outra “dificuldade” para o uso dos motéis pelos torcedores: o primeiro duelo na capital matogrossense, entre Chile e Austrália, será em 13 de junho, um dia depois do Dia dos Namorados, que costuma a ser o período mais lucrativo para estes estabelecimentos.

Nos motéis somente serão aceitos turistas brasileiros, por causa da falta de funcionários que falem outras idiomas.

As universidades do Mato Grosso também deverão receber turistas: a prefeitura de Cuiabá fez um convênio para ter à disposição 5 mil camas nas salas de aula, que estarão vazias, devido à coincidência de datas com as férias.

Outra opção alternativa será acampar em áreas dos vizinhos municípios de Chapada dos Guimarães e Santo Antônio do Leverger, com custo de R$ 20 a R$ 30 diários, mas nesse caso o problema seria a falta de transporte público na região.

Há vários meses, o governo do estado do Mato Grosso iniciou uma forte campanha para que as pessoas aluguem quartos em suas casas ou toda a propriedade ou as ofereçam de graça de forma solidária.

As associações Rotary e Lions aderiram ao projeto denominado “Acomodação Solidária”, que tem 500 residências registradas e soma 2.000 novas camas à oferta hoteleira local.

Na cidade, a população encara bem a ideia de receber turistas-torcedores.

O advogado Renan Cunha é um deles: além de falar quatro idiomas, decidiu alugar dois quartos de seu apartamento em uma zona residencial próxima ao estádio durante 15 dias.

“Alugo os quartos, sem café da manhã, mas toda a casa estará disponível para os visitantes, vou levá-los a conhecer o melhor da cidade e às partidas, que também vou assistir”, disse Cunha.

A rede social internacional Couchsurfing, um serviço de hospitalidade gratuita pela internet, tem em Cuiabá um grande índice de adesão visando a Copa.

Este é o caso da jornalista Sissy Cambuim, que em seu apartamento terá hospedados em sofás e camas para hóspedes dois colombianos e um australiano.

“Não cobrança nenhuma porque, para mim, o que vale é a oportunidade de conhecer gente nova. Trabalho o dia todo e já avisei a eles que não poderei prestar toda a atenção”, contou.

Como a gentileza se paga com outra, os colombianos não chegarão com as mãos vazias a Mato Grosso.

“Já me avisaram que vão trazer cerveja colombiana e aguardente”, disse ela. EFE

hf-plg/id