Daniel Alves nega mágoa do Barça e revela promessa: “vão sentir saudades de mim”

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2017 14h21

Em uma temporada pela JuveEm uma temporada pela Juve

Dois dias antes de disputar sua primeira final de Liga dos Campeões pela Juventus, o lateral Daniel Alves revelou como é a sua relação com o Barcelona, time que o dispensou após oito vitoriosas temporadas.

Em depoimento publicado no site The Player’s Tribune, dedicado exclusivamente a textos de atletas ao redor do mundo, o brasileiro contou que se sentiu desrespeitado pelo tratamento recebido pelos dirigentes do clube, porém garante que não consegue sentir mágoas do time em que viveu as maiores glórias da sua carreira.

“Fui desrespeitado pela cúpula dos dirigentes quando eu saí do clube no verão passado? Certamente que sim. É simplesmente a maneira como eu me sinto a respeito, e você jamais pode dizer algo diferente a esse respeito para mim. Mas não é possível jogar por um clube ao longo de oito anos, e alcançar tudo o que nós alcançamos, e não ter esse mesmo clube no coração para sempre. Dirigentes, jogadores e membros do conselho vêm e vão. Mas o Barça nunca vai desaparecer”, afirmou Daniel Alves, que revelou ainda a promessa feita aos diretores do Barcelona na ocasião da sua despedida.

“Quando eu fui para a Juventus, eu fiz uma promessa final para a cúpula do Barcelona. Eu disse, ‘Vocês vão sentir saudades de mim’. Eu não quis dizer como jogador. O Barça tem muitos jogadores incríveis. O que eu quis dizer foi que eles iriam sentir saudade do meu espírito. Eles iriam sentir saudade de alguém que prezava tanto pelo ambiente e pelo clube. Eles iriam sentir saudade do sangue que eu derramei todas as vezes que eu coloquei a camisa do Barcelona”, afirmou.

Daniel cita a impressionante virada do Barcelona sobre o PSG, em que seu ex-time perdeu a partida de ida por 4 a 0 e conseguiu a virada no jogo de volta por 6 a 1, como um exemplo do carinho que sente pelo clube catalão.

“Você podia pensar a partir da leitura dos jornais que eu esperava que meu antigo clube perdesse. Mas quando meu irmão Neymar marcou aquele lindo gol de falta? Eu pulei do sofá e estava gritando para televisão. Quando o Sergi Roberto operou aquele milagre aos 50 minutos do segundo tempo? Como todos os demais torcedores do Barça ao redor do mundo, eu estava ficando completamente maluco. Porque a verdade é que o Barcelona ainda está no meu sangue”.

Pep Guardiola

Em outro trecho do depoimento, Daniel Alves exalta o seu ex-treinador Pep Guardiola, a quem o lateral trata como um “gênio”: “se você virar a palavra ‘computador’ de trás para frente, vai aparecer Steve Jobs. Se você virar a palavra ‘futebol’ de trás para frente, vai aparecer Pep”.

O lateral relembra a preleção do treinador antes do clássico com o Real Madrid de 2010, em que o Barcelona goleou os rivais por 5 a 0. Para Daniel, Guardiola “contaria para você exatamente como tudo ia acontecer no jogo antes mesmo de a partida começar”.

“Pep nos disse antes do jogo, ‘hoje, vocês vão jogar futebol como se a bola fosse de fogo. A bola jamais ficará nos pés de vocês. Nem meio segundo. Se vocês fizerem isso, não haverá tempo para que eles nos pressionem. Nós ganharemos facilmente’. Nós saíamos de uma preleção como essa a sensação era de que o jogo já estava 3-0 para nós. Nós estávamos tão preparados, tão confiantes, que nós sentíamos que já saíamos ganhando”.

Juventus

Daniel Alves disputa no próximo sábado a sua primeira final de Liga dos Campeões fora do Barcelona. Pela equipe catalã, o lateral conquistou três títulos continentais, além de sete Campeonatos Espanhóis.

Ele foi contratado pela Juventus no começo da temporada, aos 33 anos, e já conquistou um Campeonato Italiano. O lateral conta que a troca de time, após oito anos defendendo a mesma cor de camisa, foi como “uma mudança de casa”.

“Quando eu vim para a Juventus nesta temporada, foi como se eu estivesse saindo de casa novamente. Eu fiz isso com 13, quando fui para a escola de futebol. Eu fiz novamente aos 18, indo para a Espanha. E fiz mais uma vez, aos 33, indo para a Itália”.

O lateral também exaltou o jovem destaque da Velha Senhora, o argentino Dybala: “eu não consigo escapar destes argentinos. No Barça, eu tinha o Messi. Na Juve, eu tenho o Dybala. Os gênios me seguem em todo o lugar, eu juro”.

O texto na íntegra pode ser lido neste link.