De olho na Nigéria, Irã vai atrás de vaga histórica contra eliminada Bósnia

  • Por Agencia EFE
  • 24/06/2014 12h35

Salvador, 24 jun (EFE).- Para fazer jus ao nome da cidade de Salvador, a seleção do Irã enfrentará a eliminada Bósnia em busca de algo que pode ser considerado um milagre: a surpreendente classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo, nesta quarta-feira às 13h (horário de Brasília).

Em qualquer prognóstico, a seleção asiática não aparecia entre as candidatas a avançar da primeira fase, mas na última rodada do grupo F, em caso de vitória por dois gols de diferença aliada a derrota da Nigéria selará a inédita vaga no mata-mata da competição.

A situação, no entanto, pode ter contornos ainda mais dramáticas, com a vaga podendo ser definida no sorteio. Isso aconteceria se os iranianos vencerem por 1 a 0, 2 a 1, 3 a 2, e assim por diante, e os nigerianos forem derrotados pelo mesmo placar.

Esta é a quarta participação do Irã no torneio, com todas as anteriores terminando no fim da fase de grupos, destino da estreante Bósnia, que no jogo desta quarta-feira mantém apenas a possibilidade de conquistar a primeira vitória em jogo da competição.

O Irã, aliás, ainda não conseguiu vencer no Mundial, mas mostrou solidez defensiva nos dois primeiros compromissos, principalmente no segundo contra a Argentina, em que foi derrotado por 1 a 0. Em Salvador, a seleção precisará de mais força ofensiva para avançar.

“O objetivo é que se mantenha a concentração e que os jogadores convertam as oportunidades”, disse o técnico Carlos Queiroz, em entrevista coletiva concedida.

Os três pilares da equipe e grandes esperanças para obter a vitória são os meias Ashkan Dejagah e Javad Nekounam, responsáveis pelo equilíbrio do time, e o atacante Reza Ghoochannejad. Todos deverão ser titulares no duelo na Arena Fonte Nova. Aliás, tudo indica que Queiroz use a mesma formação dos outros dois jogos.

Sem esperanças de classificação após duas derrotas nos primeiros jogos, a Bósnia jogará apenas para cumprir tabela. Para evitar o “clima de velório” antes da partida, o treinador Safet Susic tentou motivar o elenco e lamentou a saída precoce do torneio.

“Nossa obrigação é sair com honra e deixar uma boa impressão. É uma pena que essa geração saia tão cedo da Copa porque a equipe lutou e teve chances”, disse o comandante.

A seleção bósnia vai a campo na Fonte Nova deve ter muitas mudanças com relação aos dois primeiros jogos, com atletas que não atuaram na Copa, estreando no torneio. Até mesmo o astro da companhia, o atacante Edin Dzeko, pode deixar o time titular.

A mudança mais provável no time é a saída do meia Miralem Pjanic, que não participou do treinamento da equipe na segunda-feira e recebeu tratamento individual com uma bolsa de gelo no tornozelo direito.

None

Prováveis escalações:.

Bósnia: Begovic; Mujdza, Bicakcic, Spahic, Kolasinac; Medunjanin, Pjanic (Besic), Misimovic, Hajrovic, Dzeko (Visca) e Ibisevic. Técnico: Safet Susic.

Irã: Haghighi; Montazeri, Hosseini, Sadeghi, Pooladi; Hajisafi (Jahanbakhsh), Heydari, Teymourian, Nekounam, Dejagah; Ghoochannejhad. Técnico: Carlos Queiroz.

Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Espanha), auxiliado pelos compatriotas Roberto Alonso Fernandez e Juan Yuste.

Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador. EFE