Demissões de Luxa e Mano “mancharam” brasileiros na China, diz Boi Bandido

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2016 18h07

Aloísio "Boi Bandido" joga pelo Shandong LunengAloísio "Boi Bandido" joga pelo Shandong Luneng

À primeira vista, as demissões de Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes no futebol chinês não dizem muita coisa – até aqui, elas foram tratadas apenas como fracassos pessoais de dois dos técnicos mais badalados do Brasil. Em longo prazo, contudo, estes insucessos podem provocar consequências drásticas a jogadores e treinadores do País pentacampeão mundial de futebol. É isto, pelo menos, o que pensa Aloísio, ex-atacante do São Paulo. Ele atualmente defende as cores do Shandong Lunengex-time de Mano na China. 

Em entrevista exclusiva a Marcio Spimpolo para o Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan, o “Boi Bandido” revelou que as demissões de Luxemburgo e Mano, desligados após pouco tempo de trabalho, mancharam a imagem dos brasileiros na China. As precoces dispensas, no entendimento dos asiáticos, podem indicar uma crescente precarização da mão de obra verde e amarela no futebol – o que faz Aloísio temer até o fechamento do mercado chinês ao Brasil em um futuro não tão distante. 

“Não tenha dúvidas de que (as demissões) mancharam (a imagem dos brasileiros na China). Até para nós, jogadores, fica chato, porque os chineses estão investindo muito no futebol. Eles trouxeram dois grandes técnicos do futebol brasileiroambos não tiveram tanto tempo para trabalhar e implementar um plano de jogoEstas dispensas podem atrapalhar, sim, (a ida de brasileiros à China) no futuro. Não só os técnicos, mas os jogadores também, afirmou. 

Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes foram demitidos no início do mês, em um intervalo de apenas dois dias. O carioca comandava o Tianjin Quanjian, da segunda divisão, e teve alguns problemas de relacionamento com a diretoria. Depois de maus resultados e somente seis meses de trabalho, perdeu o emprego. Já Mano estava no Shandong Luneng, um dos clubes mais poderosos da China, e foi dispensado por causa do mau desempenho na liga nacional.

Volta ao Brasil? 

Apesar de prever um futuro difícil para os brasileiros na China, Aloísio não pretende sair do país por enquanto. O Boi Bandido está no clube asiático há mais de dois anos e deseja honrar o vínculo assinado depois da excelente passagem pelo São Paulo, em 2014 – o contrato vai até dezembro de 2017. Isto, contudo, não garante que o jogador permanecerá no Shandong até lá. Tudo dependerá da vontade do novo técnico do time, o alemão Felix Magath. 

“Estava acostumado com os brasileiros por aqui. Primeiro o Cuca e depois o Mano… Agora, chegou um alemão. Tenho que ver qual vai ser o pensamento dele. Não fui chamado pelos chineses para conversar até agora… Então vamos ver como vai ser”, afirmou, sem descartar um possível retorno ao País natal. “Estou bem adaptado aqui na China. Não gostaria de sair agora, mas, se tiver de voltar para o Brasil, ficarei feliz da mesma maneira como fiquei quando vim para cá“. 

Para finalizar, Aloísio admitiu sentir saudades do São Paulo e negou ter recebido propostas de clubes brasileiros nos últimos meses. De acordo com ele, houve apenas sondagens. Por enquanto, nenhum clube me procurou para fazer qualquer proposta. Apenas fizeram ligações perguntando qual era a minha situação, se eu queria voltar ao Brasil, quando acabaria o meu contrato. Mas nada de valores, tempo de vínculo, nada oficial..., encerrou.