Dennis Rodman defende presença de ex-astros da NBA na Coreia do Norte

  • Por Agência EFE
  • 07/01/2014 17h20

Ex-estrela da NBA Dennis Rodman fará jogo de exibição na Coreia

Ex-estrela da NBA Dennis Rodman fará jogo de exibição na Coreia

O ex-jogador da NBA Dennis Rodman, que se encontra na Coreia do Norte para disputar amanhã um jogo de exibição no aniversário do líder norte-coreano, Kim Jong-un, afirmou nesta terça-feira que sua viagem é “uma grande ideia para o mundo”, em entrevista ao canal CNN, que terminou aos gritos.

Em uma tensa conversa com o apresentador do programa matutino “New Day”, Chris Cuomo, um dos maiores ídolos dos Chicago Bulls defendeu sua quarta viagem à Coreia do Norte e sua ideia de “diplomacia do basquete”.

Rodman está em Pyongyang acompanhado nesta ocasião por outros ex-jogadores da NBA, como Vin Baker e Cliff Robinson, que também estiveram presentes na entrevista e que também participarão do jogo, no qual será celebrado o que acredita-se ser o aniversário de 31 anos de Kim Jong-un.

Perguntado se falaria em nome da família do cidadão americano de origem sul-coreana Kenneth Bae, retido na Coreia do Norte desde 2012, Rodman elevou sua voz e, apontando o dedo para a tela, afirmou que Bae fez “uma coisa”, sem especificá-la.

Além disso, Rodman insistiu mais uma vez em definir o líder norte-coreano como seu “amigo”.

“Um dia, esta porta vai se abrir porque estes dez caras aqui, todos nós, (Doug) Christie, Vin (Baker), Dennis (Rodman), Charles (Smith) podemos abrir esta porta só um pouco para que as pessoas venham aqui e façam uma coisa”, acrescentou.

Menos polêmicos, outros ex-jogadores que fazem parte da expedição disseram a “CNN” que sua viagem é para jogar basquete e não para fazer política e que participam apenas porque o regime norte-coreano convidou-os.

Além disso, a NBA se distanciou desta iniciativa em comunicado.

“A NBA não está envolvida com a viagem do senhor Rodman a Coreia do Norte e não se atreveria a participar ou apoiá-la sem a aprovação do Departamento de Estado”, declarou o comissário da liga profissional americana, David Stern, no comunicado.

A última vez que o ex-jogador viajou para Coreia do Norte foi há menos de um mês, quando dedicou cinco dias a preparar a partida de amanhã entre atletas aposentados da NBA e a seleção de basquete norte-coreana.

A comemoração do aniversário de Kim Jong-un acontecerá menos de um mês após a divulgação da execução de Jang Song-thaek, seu tio e ex-número dois na escala de poder.