Desespero, volta de Neymar e “duelo francês” apimentam Brasil x Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2015 21h10
Confira as imagens do clássico entre Brasil e Argentina

Um confronto entre Brasil e Argentina nos gramados costuma ser recheado de rivalidade, catimba e vontade de vencer mesmo em partidas amistosas. Em um jogo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, como o desta quinta-feira (12) no Monumental de Núñez, com as duas seleções caducando no início da competição, esses ingredientes devem ser maximizados.

No entanto, não é só a situação das equipes e a rivalidade histórica que faz com que o duelo seja especial. Confira, abaixo, outros motivos que justificam uma atenção especial ao clássico.

Brasil com Neymar, Argentina sem Messi

As principais novidades para as duas seleções dizem respeito a seus maiores craques – e, nesse quesito, o Brasil larga bem na frente. Depois de cumprir suspensão por conta de confusão na Copa América, Neymar, desfalque contra Chile e Venezuela, está liberado para disputar jogos oficiais. Por outro lado, a Argentina não terá Messi, que ainda se recupera de lesão sofrida defendendo o Barcelona. Para piorar, Tata Martino ainda perdeu o zagueiro Ezequiel Garay e pode não ter Tevez para o clássico.

Argentina desesperada…

Os argentinos não precisam de motivos especiais para querer vencer o Brasil: eles querem vencer apenas pelo gosto de derrotar o maior rival – e o contrário também acontece. No entanto, haverá mais um motivo para os hermanos partirem com tudo para cima: o péssimo começo nas Eliminatórias. Na estreia, o time de Tata Martino perdeu em casa para o Equador; no segundo jogo, empatou com o Paraguai fora de casa. É apenas um ponto somado e nenhum gol marcado.

Em caso de derrota para o Brasil, a Argentina se complicará logo no início das Eliminatórias e irá para o difícil compromisso contra a Colômbia, em Barranquilla, precisando mais do que nunca de uma vitória.

…E Seleção Brasileira pressionada

O time brasileiro pode não estar passando por uma situação tão complicada quanto a de seu rival, mas pode ficar bem parecida em caso de derrota na quinta-feira. Caso isso aconteça, o Brasil terá somado apenas três pontos em três jogos disputados, com duas derrotas e uma vitória. Este cenário fará com que a pressão sobre a Seleção para a partida diante do Peru seja muito grande.

A disputa pela vaga no gol

A disputa pela posse das luvas na Seleção ainda está aberta. Titular nas últimas partidas, Alisson não é garantido como titular, mas tem passado confiança. Jefferson, por sua vez, tenta recuperar o espaço perdido nos últimos meses e tem como trunfo a experiência com a camisa amarela. Por fim, Cássio, goleiro do campeão brasileiro Corinthians, corre por fora para tentar a vaga no gol. Independentemente de qual deles for titular, uma boa atuação diante da Argentina pode garantir o prestígio necessário para manter a posição.

David Luiz e o confronto de “franceses”

Já que Neymar não poderá enfrentar seu companheiro Messi, que está contundido, caberá a David Luiz ser o “espião” brasileiro para o clássico. No PSG, o zagueiro tem como companheiros três argentinos convocados para o confronto: Lavezzi, Pastore e Di Maria. O duelo de “franceses” poderia ser ainda mais acirrado, caso Marquinhos não tivesse se contundido e sido substituído por Gabriel Paulista, e caso Thiago Silva fosse convocado por Dunga.