Desfalcada, Alemanha enfrenta Polônia do “inimigo íntimo” Lewandowski

  • Por Agencia EFE
  • 10/10/2014 20h32

Varsóvia/Berlim, 10 out (EFE).- Cheia de desfalques, a Alemanha visitará a Polônia neste sábado, em partida válida pela fase de classificação da Eurocopa 2016, enfrentando um velho e temido conhecido.

O atacante Robert Lewandowski, hoje no Bayern de Munique e com passagem pelo Borussia Dortmund, é uma das principais preocupações do técnico da seleção alemã, Joachim Löw, que destaca também as qualidades dos demais jogadores adversários.

“Ele é um dos três melhores atacantes do mundo, mas a Polônia não é só Lewandowski”, alertou o treinador.

Desde quando começou a ser convocado pela seleção polonesa, Lewandowski enfrentou a Alemanha em apenas dois duelos. Ambos terminaram empatados. No primeiro confronto, em 2011, acabou marcando um dos gols do jogo.

O desempenho na seleção não justifica o receio, mas os alemães conhecem o faro de matador do artilheiro, famoso por balançar as redes na liga nacional do país.

Löw terá vários desfalques para escalar a equipe. Bastian Schweisteiger, Sami Khedira, Beneditk Howëdes, Marco Reus, Mario Gómez e Mesut Özil, que se lesionou de última hora, estão fora do jogo.

“Às vezes, quando uma equipe joga contra o atual campeão do mundo, tem uma motivação adicional, maior do que quando joga para o seu próprio público”, acrescentou o treinador alemão.

Lewandowski, que marcou quatro vezes na vitória da Polônia por 7 a 0 sobre Gibraltar na estreia da Eurocopa, terá a missão de ajudar sua seleção a vencer a Alemanha pela primeira vez na história.

Mesmo com a pouca expressão de Gibraltar no futebol, o resultado deu ânimo aos poloneses, que querem surpreender os atuais campeões do mundo.

“Se pela primeira vez derrotarmos a Alemanha, escreveremos um novo capítulo na história do futebol polônes”, disse o zagueiro Kamil Glik, que destaca o “bom momento” de seus companheiros.

O técnico da Polônia, Adam Nawalka, é mais realista e afirma que os alemães apresentam uma “organização do jogo quase perfeita, muito perigosa e praticamente impecável”.

Nawalka espera que Lewandowski seja decisivo no confronto, mas sabe que a seleção polonesa não é o Bayern de Munique. Em algumas ocasiões o artilheiro joga isolado no ataque e fatal companheiros com a qualidade do francês Franck Ribery e do holandês Arjen Robben.

“Me preocupa a falta de um autêntico criador de jogo, de um 8 e um 10 que joguem para ajudar desde o centro, atrás do atacante”, lamentou o presidente da Federação Polonesa de Futebol, Zbigniew Boniek.

“Temos um atacante (Lewandowski) de primeiro nível, mas para trás não temos jogadores de categoria mundial. Nos últimos anos, nosso futebol não está produzindo jogadores para essa posição”, acrescentou.

None

Prováveis escalações:.

Polônia: Szczesny; Piszczek, Kamil Glik, Szukala e Jedrzejczyk; Grosicki, Jodlowiec, Krychowiak e Rybus; Arkadiusz Milik e Robert Lewandowski.

Alemanha: Neuer; Antonio Rüdiger, Boateng, Hummels e Erick Durm; Kramer, Bender, Toni Kroos e André Schürrle; Thomas Müller e Mario Götze. Técnico: Joaquim Löw

Árbitro: Pedro Proença (POR), auxiliado por seus compatriotas Bertino Miranda e Tiago Trigo.

Estádio Nacional de Varsóvia (Polônia). EFE