Dias antes de pegar Real Madrid, Daniel Alves revela gosto por clássicos

  • Por Agência EFE
  • 18/03/2014 19h23
EFE Daniel Alves em jogo do Barcelona Daniel Alves em jogo do Barcelona

O lateral-direito Daniel Alves, do Barcelona, não escondeu a empolgação pela proximidade do clássico com o Real Madrid, neste domingo, pelo Campeonato Espanhol, e afirmou que prefere enfrentar grandes rivais, o que seria o ponto alto da carreira de jogador de futebol.

“O que mexe comigo é competir com os melhores, e não com alguém inferior. O que mais gosto na minha profissão são esses duelos, porque me preparo muito para enfrentar times e jogadores de alto nível. Se eu não jogasse contra os melhores, não estaria no Barcelona, estaria na equipe da minha cidade”, disse Daniel Alves, em entrevista à emissora de televisão GolT.

Poucos dias antes do confronto, o jogador relembrou a temporada 2011/2012, quando as equipes se enfrentaram diversas vezes no Campeonato Espanhol, Copa do Rei da Espanha e Liga dos Campeões da Europa.

“Um clássico é a melhor partida que se pode disputar, sem contar as finais. Saber que tem um monte de gente te vendo e esperando o seu melhor é motiva muito. Fiquei muito empolgado na temporada em que pude enfrentar o Real Madrid cinco vezes”, afirmou o lateral.

O titular da seleção brasileira ainda revelou que não se importou com a vitória por 6 a 2 em clássico disputado no estádio Santiago Bernarbéu, em 2009. Segundo Alves, a vitória por si só já o faz feliz.

“Foi um partida histórica para os torcedores. Para mim, valeu os mesmos três pontos de uma vitória por 1 a 0. Isso é legal para os torcedores, que vão poder se vangloriar por esta goleada no Bernabéu”, afirmou.

Seguindo este raciocínio de que o que importa é o que foi conquistado, independente do placar, Daniel Alves explicou a importância da conquista de títulos para ficar marcado na história.

“Uma classificação para fase seguinte não me diz nada. O que me importa são os títulos que eu conquisto, as medalhas que eu penduro no pescoço e as taças que eu tenho na minha casa. O resto não significa muito para mim”, concluiu o lateral.