Dilma confirma que entregará a taça da Copa do Mundo e faz “Tóis” a Neymar

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2014 14h11

Dilma manda mensagem de apoio a Neymar e faz sinal de "Tóis" com o braçoDilma manda mensagem de apoio a Neymar e faz sinal de "Tóis" com o braço

Pelo perfil no Facebook do Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff mais uma vez respondeu a perguntas de internautas e confirmou que entregará a traça da Copa do Mundo à seleção campeã após a final de domingo (13) no Maracanã. Em momento descontraído, Dilma ainda atendeu a pedido da página “fake” humorística (Dilma Bolada) fazendo sinal de “T” com os braços em alusão à música “É tudo Tóis”, de Henrique e Diego, para enviar uma mensagem de apoio a Neymar, que frequentemente usa a expressão.

Objetivamente, Dilma confirmou que participará da cerimônia de premiação do mundial. “Vou entregar a taça no domingo, e torço para que seja para o Brasil”, disse. Interrogada sobre a possibilidade de “passar por um constrangimento como ocorreu na abertura” do evento, Dilma foi seca: “são ossos do ofício”, disse.

Dilma também acenou com a possibilidade de o Mundial de futebol se repetir no Brasil após 2020, ao responder Jéssica Domingos, que sugeria: “Que tal fazermos outra Copa?”. A resposta de Dilma foi: “Talvez na próxima década. Ainda bem que teremos Olimpíadas e Paraolimpíada em 2016”. Critica-se muito a Copa do Mundo de 2022, programada para ser no Catar, por causa de denúncias de milhares de mortes de trabalhadore e do calor excessivo em junho no país do Oriente Médio, e questiona-se a sua realização no local.

O tema do bate-papo era desde o iníocio sobre a Copa e, quando questionada, a presidente preferiu não apontar quem gostaria que o Brasil enfrentasse numa eventual final do torneio. “Não é uma questão de muro, mas de prudência: não escolho adversário”, disse. No campo futebolístico, Rousseff também não quis sugerir quem entra no lugar de Neymar, mas acha que “o exemplo de resistência do Neymar vai fortalecer a Seleção”.

Dilma respondeu além do mais a uma questão sobre a economia e comparou o pessimismo em relação ao PIB com o pessimismo com a Copa antes de junho. “O mesmo pessimismo que anteciparam para a Copa e que se mostrou equivocado, ocorre quando falam sobre o PIB de 2014. Nós acreditamos na força da economia brasileira para se superar diante das dificuldades derivadas da crise internacional”, avaliou.

Diferente de outras vezes em que se expôs a sabatina na rede social, Dilma não fugiu de perguntas mais críticas e respondeu questionamento sobre a “dificuldade da máquina brasileira em tirar uma obra do papel e as brigas políticas”, que teriam levado ao atraso de obras da Copa, e como evitar que isso ocorra nas Olimpíadas do Rio de 2016. “Não é verdade que houve brigas políticas que atrasaram as obras da Copa”, rebateu a presidente. “Não concordo que houve qualquer prejuízo para a Copa do Mundo com obras atrasadas. Não podemos repetir na Olimpíada o indevido pessimismo que houve na preparação da Copa. Isso é algo que devemos aprender”, respondeu Dilma.

Dilma da mesma forma retrucou uma pergunta sobre o prejuízo que o País teria tido com investimentos públicos na construção de estádios. “O Brasil, ao emprestar dinheiro para construção dos estádios, não saiu no prejuízo”, avaliou. “Primeiro, porque foi empréstimo bancário e sera pago com os devidos juros. Segundo, porque os estádios nos permitiram receber a Copa das Copas e gerar, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas e a Ernst Young, 3,6 milhões de empregos em todo seu ciclo. Terceiro, essas mesmas instituições, afirmam que para cada 1 real de investimento público na Copa, obtém-se R$ 3,4 de investimento privado. Quarto, porque mostramos para o mundo que o Brasil é um país que tem competência e capacidade para organizar, em toda a sua complexidade, uma grande Copa. Isso significa aeroportos, estádios, segurança, transporte público e estrutura de comunicação”, argumenta a presidente.

Sobre os frutos do evento para o País, Dilma disse que o maior legado da Copa é “nossa autoestima mais elevada”. A presidente também disse que tem como objetivo que a fluidez nos aeroportos “fique ainda melhor” após a Copa.

Dilma avaliou ainda que o País está mais preparado para receber grandes eventos. “Sem dúvida, a partir de agora, o Ministério do Esporte tem os requisitos para trazer competições internacionais para o Brasil. Até porque não há nenhuma competição internacional que tem (sic) uma complexidade maior do que a da Copa”, pensa a presidente.

A presidente também agradeceu a elogios direcionados a ela por causa do sucesso da Copa. “Parabéns pela belezura que está sendo essa Copa,viu? E obrigada por ter tido coragem e firmeza de levar adiante,com tanto urubu agourento no meio do caminho”, escreveu Regina Salomão. “Obrigada. Belezura mesmo. Azar dos urubus“, respondeu Dilma.