Diretor jurídico do Corinthians comenta ação de Paulo André contra o clube

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2014 12h07

O zagueiro do CorinthiansPaulo André concede entrevista coletiva

Depois de deixar o Corinthians para ir atuar no futebol chinês, o zagueiro Paulo André resolveu entrar na Justiça contra o clube brasileiro para reivindicar direitos de imagem e outros benefícios, tais como remuneração por horas extras em final de semana.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o diretor jurídico do Corinthians, Luiz Alberto Bussab, falou sobre o caso e esclareceu algumas informações.

“A princípio, estamos recebendo a citação essa semana, e são uma série de pleitos, entre eles direito de imagem, descanso semanal remunerado. Estamos observando e, com certeza, vamos rebatê-los”, declarou.

Bussab rechaçou a ideia de julgar a postura do jogador por reivindicar determinados benefícios, mas frisou que isso não é comum no meio do futebol.

“Eu não posso fazer esse julgamento. Quem tem que fazer esse julgamento é a Justiça. Normalmente, o jogador de futebol não pleiteia esse benefício. Esse benefício é de um trabalhador comum. O jogador de futebol, justamente quando acerta um salário, ele acerta já prevendo o trabalho nesses dias e nesta forma. Mas pedir ele pode, é um direito dele, e nós vamos providenciar a nossa defesa”, observou.

O diretor jurídico do Corinthians afirmou que o clube abriu mão de muitas coisas quando Paulo André decidiu ir para o futebol chinês. “Por conta solicitação do jogador, quando da sua saída, o Corinthians o atendeu, até por conta dos bons serviços, e atendemos o jogador em todos os seus pleitos. Realmente ficamos surpresos com essa ação”, admitiu.

Por fim, Luiz Alberto Bussab manteve a confiança na vitória do Corinthians na Justiça e disse que o julgamento ainda não tem data marcada para ser finalizado.

“Para acabar, não tem. Está se iniciando agora e, se não me engano, tem uma audiência marcada para antes do final do ano. Não tem problema, estamos acostumados com isso. Ele não foi o primeiro e certamente não será o último. Estamos preparados, vamos defender e temos certeza que o judiciário vai entender a situação e vamos ter êxito”, finalizou.