Diretor jurídico do Corinthians esclarece problemas envolvendo Petros e Guerrero

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2014 17h40

Guerrero "atropelou" o árbitro no segundo tempo

Árbitro não relata empurrão de Guerrero em súmula da partida contra Bragantino

O Corinthians está sendo obrigado a lidar com alguns problemas na Justiça desportiva e um dos assuntos recentes que surgiram no clube diz respeito a um suposto registro irregular de Petros na CBF, que poderia render até uma perda de 21 pontos do time no Campeonato Brasileiro.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o diretor jurídico do Corinthians, Luiz Alberto Bussab, esclareceu alguns dos problemas que vêm agitando os bastidores do alvinegro de Parque São Jorge e negou que o registro do meia Petros esteja irregular.

“Não houve erro nenhum, absolutamente, ele está registrado, como sempre esteve, sempre jogou regularmente. Não há nenhum problema, nenhuma irregularidade”, disse. “A gente respeita o BID (Boletim Informativo Diário), todo jogador joga baseado na relação do BID. Ele entrou em campo, ele e todos os atletas entraram em campo relacionados no BID. O contrato é absolutamente legal, registrado, ele vem jogando, assim como todos os outros atletas, regularmente”, completou Bussab.

Petros também está sendo julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por suposta agressão ao árbitro Raphael Claus e, depois de pegar uma pena de 180 dias, o jogador espera que o clube consiga reduzir essa penalidade. Para Bussab, que ainda não conhece a data do novo julgamento, o Timão conseguirá reduzir essa punição.

“Ainda não marcaram uma nova data, estamos aguardando, e temos certeza que vamos conseguir reduzir isso”, frisou.

Outro problema do Corinthians envolve o atacante Paolo Guerrero. O peruano foi denunciado por suposta agressão ao árbitro Leandro Bizzio Marinho, na derrota do time para o Bragantino por 1 a 0, em jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, e também pode pegar uma suspensão de 180 dias. Luiz Alberto Bussab salienta que o clube não crê em uma punição, já que o caso não foi de agressão, e diz crer na isenção do tribunal, descartando qualquer ideia de perseguição ao Corinthians.

“Eu prefiro não ver dessa maneira, não posso acreditar que haja perseguição. Acredito na isenção do tribunal e acredito que seja igual para todos. De qualquer forma, o Guerrero, a nosso ver, não cometeu nenhum ato de agressão e certeza que vamos conseguir a absolvição dele no tribunal. Isso não deve prosperar. Vamos receber a denúncia, ver como ela vem, e vamos conseguir a absolvição do Guerrero”, finalizou.

O Corinthians aguarda os desfechos dos casos envolvendo Petros e Guerrero e pode ter que lidar com dois grandes desfalques na sequência da temporada.