Diretoria do Corinthians relata problema em câmeras e rejeita greve individual

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2014 20h55

Ronaldo Ximenes e Mano Menezes conversam em treino do Corinthians

Ronaldo Ximenes e Mano Menezes conversam em treino do Corinthians

No mesmo dia em que os jogadores do Corinthians divulgaram uma nota criticando a ação dos torcedores no último sábado e confirmando o desejo de greve, a diretoria do Corinthians se posicionou aceitando a alternativa, caso ela seja adotada por todas as equipe do Campeonato Paulista. Além disso, Ronaldo Ximenes, diretor de futebol alvinegro, confirmou nesta terça que algumas câmeras que poderiam identificar os vândalos não estavam funcionando na hora da invasão. 

► Confira a tabela do Campeonato Paulista

“Essa é uma decisão (greve) que cabe aos jogadores. Eu sempre respeitei qualquer tipo de movimento organizado, é um direito deles. Se eles entendem que é o melhor caminho para buscar soluções aos anseios que eles almejam, eles tem que buscar. Mas tem que ser uma ação coletiva, paralisar a rodada e dar o impacto que eles buscam. Não adianta parar apenas um jogo”, afirmou Ximenes.

Diversos torcedores invadiram no último sábado o CT Joaquim Grava, agredindo funcionários e até mesmo o atacante Guerrero como protesto pelo fraco começo de temporada do corinthians. Nesta terça-feira os jogadores rebateram criticando veementemente a ação, confirmando que não queriam entrar em campo no último domingo e que apoiam uma greve de jogadores do Campeonato Paulista no próximo final de semana.

A arma que o Corinthians tem para minimizar os estragos do ataque é  entregar para as autoridades as gravações feitas pelas cãmeras de segurança para identificar os responsáveis pela ação. De acordo com Ximenes, as lideranças das torcidas organizadas não estavam presentes na ação. além disso o dirigente confirmou que parte das imagens de sábado foram perdidas, exatamente no momento da invasão, mas isso não deve influenciar nas investigações. 

” É triste. Hoje (terça) quando fomos buscar as imagens e identificamos que parte do material foi prejudicado. Não sabemos ainda o motivo, mas nada que comprometa a investigação, porque o material é farto”, lamentou Ximenes, que ainda defendeu que nenhum jogador pediu para ser dispensado depois do incidente.