Dirigente não descarta convocação de jogadores do Dínamo de Kiev para guerra

  • Por Agência EFE
  • 04/02/2015 16h50
Jogadores do Dínamo de Kiev desembarcam de avião. Cena pode se repetir em cenário de guerra

O presidente do Dínamo de Kiev, Igor Surkis, não descarta que os jogadores de sua equipe nascidos na Ucrânia sejam convocados para combater as milícias pró-Rússia no leste do país.

“Se algum dos jogadores receber uma convocação, a estudaremos do ponto de vista legal. Se for necessário, certamente, todos irão combater”, disse o dirigente à imprensa local.

No entanto, Surkis frisou que, em sua opinião, “os jogadores devem cumprir uma missão pacífica, jogar e dar esperança aos torcedores de que haverá paz e tranquilidade no país”.

A Ucrânia mobilizará nos próximos três meses 50 mil combatentes para superar a resistência dos rebeldes pró-Rússia, que anunciaram nesta semana uma mobilização para criar uma força de 100.000 soldados.

Devido ao conflito nas regiões de Donetsk e Lugansk, várias equipes de futebol, como o Shakhtar Donetsk, se viram obrigadas, desde a última temporada, a disputar as partidos como mandante no oeste do país.

O Dínamo de Kiev é o atual líder do Campeonato Ucraniano, com 5 pontos de vantagem sobre o Shakhtar.