Djokovic sofre, mas dá troco em Wawrinka e avança à final do Aberto da Austrália

  • Por Agência Estado
  • 30/01/2015 10h47
Djokovic supera Wawrinka e vai à final na Austrália

Novak Djokovic sofreu, mas venceu Stan Wawrinka por 3 sets a 2, com parciais de 7/6 (7/1), 3/6, 6/4, 4/6 e 6/0, nesta sexta-feira, e garantiu vaga na final do Aberto da Austrália. Líder do ranking mundial, o tenista sérvio assim deu o troco no suíço, que no ano passado surpreendeu o poderoso rival nas quartas de final do Grand Slam realizado em Melbourne.

Com o triunfo, Djokovic se credenciou para enfrentar na decisão, neste domingo, o britânico Andy Murray, que na última quinta derrotou o checo Tomas Berdych por 3 sets a 1 na outra semifinal da chave masculina de simples da competição.

Favorito mesmo atuando diante do atual campeão do Aberto da Austrália, Djokovic precisou de três horas e meia em quadra para derrotar Wawrinka, que nesta sexta obteve a sua 17ª vitória em 20 duelos com o rival. O suíço também havia sido batido pelo sérvio na primeira fase do ATP Finals de 2014, no torneio que reuniu os melhores tenistas da temporada passada, no confronto anterior entre os dois.

No ano passado, Wawrinka superou Djokovic também em uma batalha de cinco sets para seguir em frente na surpreendente campanha que resultou com o título do Aberto da Austrália. Desta vez, porém, acabou sucumbindo na parcial final do confronto.

Com o troco dado no suíço, o sérvio também irá encarar Murray pela terceira vez em uma final do Aberto da Austrália, sendo que levou a melhor nas duas outras decisões em Melbourne contra o escocês, superado no jogo que valeu o título em 2011 e 2013.

O JOGO – Djokovic e Wawrinka começaram o jogo desta sexta cometendo muitos erros e, após cada tenista conquistar uma quebra de saque, o primeiro set foi para o tie-break, no qual o sérvio foi muito melhor para fazer 7/1 e abrir vantagem.

Na segunda parcial, Wawrinka seguiu sendo pressionado e precisou salvar dois break points, antes de aproveitar a única chance que teve de quebrar o serviço do sérvio para abrir vantagem e depois fechar em 6/3.

A instabilidade dos tenistas seguiu alta no terceiro set. O suíço voltou a mostrar força ao quebrar o saque de Djokovic por uma vez, mas o sérvio converteu dois de três break points para fazer 6/4 e voltar a ficar à frente no jogo.

No quarto set, por sua vez, logo de cara o sérvio conseguiu uma quebra no segundo game e abriu 2 a 0, mas Wawrinka devolveu a quebra, confirmou seu serviço e depois converteu novo break point para seguir rumo ao 6/4 que empatou o jogo.

Melhor fisicamente, porém, Djokovic sobrou no quinto set. E, ao aproveitar três de quatro chances de ganhar games no saque do rival, aplicou um improvável “pneu” (6/0) para liquidar o confronto.

No fim, pesou para Wawrinka o seu grande número de erros não-forçados. Foram 69, contra 49 do sérvio. O fato deixou em segundo plano o maior número de winners (42 a 27) do atual quarto colocado do ranking mundial, que também fez mais aces (10 a 5).