Do estádio ao comandante: cinco motivos para o Palmeiras celebrar o aniversário

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2015 10h30
Diferente do ano passado

Vivendo uma reconstrução dentro e fora de campo, o Palmeiras completa 101 anos de história nesta quarta-feira (26). Diferente do que vivia um ano atrás, quando chegou ao centenário saindo de um rebaixamento, sem um time confiável (que na época já vivia a ameaça de uma nova queda no Brasileiro) e sob a expectativa da contratação de Ronaldinho Gaúcho, o Verdão dessa vez vive momentos completamente opostos.

Chegando ao seu 101º ano de existência, o Verdão dá ao seu torcedor motivos para festejar e sonhar com um clube cada vez mais forte.

O estádio

O Allianz Parque foi inaugurado ainda em 2014, mas é em 2015 que a nova casa alviverde se tornou um sucesso. Praticamente lotada em todos os jogos com média de mais de 30 mil pessoas, a arena palmeirense se tornou um orgulho dos torcedores palestrinos e uma grande força da equipe comandada por Marcelo Oliveira.

A economia do clube

O Palmeiras viveu muitos anos com problemas financeiros, mas o cenário hoje é diferente. Bem administrado por Paulo Nobre, o Verdão é um dos poucos clubes sem problemas de atrasos de salário e que consegue arrecadar bem com o estádio, programa de sócio-torcedor, e patrocínio, e gera uma expectativa muito positiva para os próximos anos.

Time forte

Depois de quase ser rebaixado em 2014 com um time frágil, Paulo Nobre investiu pesado para montar uma equipe capaz de brigar por títulos, contratou 25 jogadores e, se na temporada passada a expectativa era de contratar Ronaldinho Gaúcho, dessa vez o Verdão se preocupou em contar com um grande craque e montou um plantel equilibrado que passa longe de preocupar a torcida. Como reflexo do bom momento financeiro, o Verdão mostra que pode ter uma equipe ainda mais forte nas próximas temporadas.

Tranquilidade nos bastidores

Os bastidores do Palestra Itália sempre ferveram. Em momentos complicados, os conflitos políticos do clube sempre prejudicaram as administrações e refletiam dentro de campo. Figuras folclóricas dentro do Verdão deixaram de ter voz ativa, informações deixaram de ser vazadas e na maior parte do tempo, a tranquilidade reina nas alamedas do clube.

Comando técnico de alto nível

Para resolver os problemas dentro de campo, Paulo Nobre foi buscar uma dupla bicampeã brasileiro com o Cruzeiro. Para montar a equipe, o presidente palmeirense contratou Alexandre Mattos que comanda o departamento técnico do clube e já se tornou “mito” entre os torcedores pelas contratações. Dentro de campo, depois da demissão de Oswaldo de Oliveira, Nobre buscou Marcelo Oliveira que logo emplacou uma sequência de vitórias e animou a torcida alviverde.