Dorival celebra vitória palmeirense, mas alerta: “não temos direito de relaxar”

  • Por Jovem Pan
  • 03/11/2014 07h36
O técnico Dorival Junior da SE Palmeiras em jogo contra a equipe do EC Bahia durante partida válida pela trigésima segunda rodada do Campeonato Brasileiro Série A no Estádio Fonte Nova. Salvador/BA, Brasil - 02/11/2014. Foto: Cesar Greco / FotoarenaDorival Júnior exalta vitória diante do Bahia em Salvador

Apesar de ter visto seu time bater o Bahia fora de casa e abrir cinco pontos da zona do rebaixamento, o técnico Dorival Júnior afirmou que, para ele, o Palmeiras não afastou o fantasma do descenso em definitivo. O treinador pediu que não haja relaxamento por parte dos jogadores para que o temor da queda não se prolongue até as últimas rodadas do torneio.  

Agora com 39 pontos e na 13ª colocação, o Palmeiras se distancia das equipes mais ameaçadas. Contudo, Dorival ainda pediu cautela ao grupo de jogadores. “Não temos o direito de relaxar em momento algum. Estamos em uma situação difícil, próximos de uma zona que incomoda e afeta. Se tivesse perdido aqui, estaríamos mais próximos ainda. Acho que em razão da rodada ter sido favorável e do Palmeiras ter feito a sua parte, demos um passo importante, mas não definitivo. Temos de estar mobilizados para não levar até os últimos jogos a definição sobre a permanência. Precisamos estar concentrados”, disse, 

O único gol da partida foi marcado por Mazinho, atleta em quem Dorival apostou e optou por ser titular ao lado de Valdívia. A dupla funcionou bem, já que a assistência para o tento decisivo saiu dos pés do chileno. O treinador minimizou seu mérito. “Quem tem participação grande são os jogadores. O time mudou de postura e por isso melhoramos. Fico contente com a participação desses jogadores no gol. Mas o mais importante é que fizemos um jogo digno do que o Palmeiras precisava. O gol do Mazinho foi fundamental, mas em um todo estamos ganhando. Os atletas que ficam fora também têm sido fundamentais”, garantiu.

Dorival ainda celebrou a frieza do time, que aguentou a pressão dos donos da casa no final da partida e manteve a vantagem no placar. “Vínhamos de duas atuações nas quais sofremos o gol no fim [empates diante de Cruzeiro e Corinthians]. É um resultado que tem uma valorização grande pela maneira como conquistamos. O Bahia procurou o gol e deixou o jogo franco. Esse seria o problema maior: reviver novamente uma situação três jogos seguidos. Seria complicado. Passou um filme”, admitiu. 

Fora do aspecto técnico, Dorival ainda condenou a atitude dos jogadores de ambos os times que deixaram o gramado da Arena Fonte Nova discutindo rispidamente. “Um tumulto desse é difícil. Nunca se sabe quem tem razão. Só tentamos apartar, porque é desnecessário. Foi um jogo leal, sem pontapés. Não tinha necessidade de finalizar o jogo com a postura que alguns atletas tiveram. Não soa bem. O futebol brasileiro tem de se recuperar. E precisa haver mais lealdade entre os profissionais”, finalizou.