Dos naturalizados ao medo de viajar: relembre outros “nãos” à Seleção

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2015 10h16
Assim como Rafinha

Convocado pelo técnico Dunga para a disputa de dois jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo no mês de outubro, o lateral Rafinha repetiu o gesto de outros jogadores e pediu dispensa da Seleção Brasileira.

Ao perceber que não está entre as primeiras opções para a lateral da equipe de Dunga, o jogador do Bayern de Munique optou por não defender o Brasil e especulações sobre uma possível naturalização para defender a seleção alemã rondam o ala.

A opção por defender outro país fez com que alguns atletas dissessem “não” à Seleção, mas outros motivos também motivaram a negativa à amarelinha. Relembre outros casos:

Diego Costa

O caso mais recente de jogador que optou por não defender a Seleção é do atacante, hoje no Chelsea, que mesmo após ter sido convocado por Felipão, optou por se naturalizar e disputar a Copa do Mundo de 2014 com a Espanha.

Amauri

Destaque no campeonato italiano, principalmente com a camisa da Juventus entre 2008 e 2011, Amauri chegou a ser chamado por Dunga na primeira passagem do treinador pela Seleção, mas pediu dispensa e se naturalizou para defender a Itália.

Leandro

Grande lateral do país nos anos 80, Leandro deixou a equipe verde e amarela às vésperas de viajar para o México, para a disputa da Copa de 1986. O ex-flamenguista optou por deixar a Seleção comandada pro Telê Santana que optou por não convocar o colega Renato Gaúcho. Dias antes, Leandro e Renato chegaram de madrugada a concentração da equipe e se desentenderam com Telê.

Mario Fernandes

Promissor defensor do Grêmio, Mario Fernandes foi chamado por Mano Menezes em 2011, mas, alegando problemas pessoais, afirmou que se negava a se apresentar ao time verde a amarelo.

Zé Roberto

Em 2007, Zé Roberto brilhava com a camisa do Santos. O bom futebol fez o técnico Dunga convoca-lo, mas o meia, alegando não ver grande futuro na Seleção, pediu dispensa e nunca mais voltou a ser chamado.

Mauro Silva

Em 2001, a Seleção viajaria para a Colômbia, sede da Copa América naquele ano. Os graves problemas no país que vivia grande crise com as Farc fez com que o volante Mauro Silva pedisse para ser dispensando pelo treinador Luís Felipe Scolari. Mauro nunca mais foi chamado.

Careca

Já em final de carreira, Careca poderia disputar sua terceira Copa do Mundo em 1994, mas pediu para deixar a Seleção durante a preparação do time de Parreira.

Leonardo

Referência na equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo no final dos anos 90, Leonardo se desentendeu com o treinador e também pediu para deixar a Seleção. Na época, boatos disseram que Leonardo se irritou ao perder a braçadeira de capitão para Cafu.

Serginho

Lateral de sucesso no Milan, Serginho pediu dispensa da Seleção na montagem da equipe para a Copa de 2006. Treinador da equipe na época, Parreira nunca mais chamou o ala esquerdo.