Doutor eterno: há quatro anos, o mundo se despedia de Sócrates; relembre gols

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2015 10h20
Aos 57 anos

Há quatro anos, o futebol brasileiro perdia uma das figuras mais emblemáticas de sua história. Em 4 de dezembro de 2011, Sócrates faleceu deixando um grande legado que transcendeu as quatro linhas.

Sofrendo com cirrose e com uma infecção generalizada, o Doutor morreu aos 57 anos no mesmo dia em que o Timão conquistou o título brasileiro de 2011 e foi homenageado pelos jogadores alvinegros que levantaram o punho repetindo o gesto eternizado pelo ídolo.

Formado em medicina e engajado em causas políticas, o eterno camisa 8 do Corinthians marcou 172 gols pelo Timão e conquistou três campeonato paulistas (1979, 1982, 1983). Na campanha do segundo título estadual, o meio-campista foi decisivo no clássico diante do Palmeiras quando marcou duas vezes e deu a vitória de virada ao Timão.

Sócrates ainda foi figura importante na luta do Brasil pela volta de democracia. Vivendo a ditadura militar, o país viu em Sócrates e na democracia corintiana, liderada pelo Doutor, uma luz no fim do túnel.

Revelado no Botafogo de Ribeirão Preto e consagrado no Corinthians, Sócrates ainda desfilou seu futebol elegante na Itália, onde defendeu a Fiorentina. O Magrão ainda vestiu a camisa do Flamengo e do Santos, clube que torcia quando criança.

O brilho do Doutor foi reconhecido também na Seleção Brasileira: Sócrates teve a honra de carregar a faixa de capitão do Brasil na Copa do Mundo de 1982 e ainda serviu ao escrete canarinho em 86. Com a camisa verde e amarela foram 63 jogos e 25 gols marcados.