Dunga não se vê ameaçado na Seleção em caso de tropeço contra o Peru em Salvador

  • Por Agência Estado
  • 16/11/2015 21h05
***FOTO EMBARGADA PARA JORNAIS DE SALVADOR*** SALVADOR, BA, 16.11.2015: FUTEBOL-SELEÇÃO - Dunga durante coletiva após treino da seleção brasileira, nesta segunda-feira (16) no estádio de Pituaçu em Salvador, em preparação para a partida contra o Peru na Arena Fonte Nova, válida pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo 2018. (Foto: Lúcio Távora /Ag. A Tarde/Folhapress)Dunga disse que pressão é normal e que "ameaçado é uma palavra muito forte"

Dunga não vê motivos para se sentir ameaçado no comando da Seleção Brasileira em caso de tropeço diante do Peru, nesta terça-feira, em Salvador, pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O Brasil está na quarta colocação, com quatro pontos, e se não derrotar os peruanos na Arena Fonte Nova pode virar o ano fora da zona de classificação para o Mundial da Rússia.

“Ameaçado? Não sei por quê. É o futebol, é normal a cobrança que se tem em todas as profissões. É resultado. Ameaçado é uma palavra um pouco forte”, disse o treinador em entrevista coletiva realizada no estádio de Pituaçu, onde a Seleção Brasileira fez o seu último treino antes de enfrentar o Peru.

A pressão em cima do treinador aumentou principalmente depois do fracasso na Copa América, quando o Brasil foi eliminado diante do Paraguai, nas quartas de final. Depois, o time estreou com derrota nas Eliminatórias para o Chile e o nome de Tite, técnico do Corinthians, passou a ser cogitado para assumir a Seleção Brasileira em 2016.

Apesar de Dunga não se sentir ameaçado no cargo, o treinador reconhece que só vitórias poderão lhe dar um pouco de tranquilidade para continuar na Seleção. “Temos que somar pontos o mais rápido possível”, afirmou.

O treinador manteve o mistério e não revelou o time que enfrentará o Peru. Quando os jornalistas tiveram acesso ao treino desta terça-feira, os atletas já disputavam um rachão. Até o ex-jogador Careca, auxiliar pontual da Seleção, participou da brincadeira.

Tudo indica, no entanto, que Dunga vai abandonar o esquema com um centroavante que utilizou nas partidas contra Venezuela e Argentina para que Neymar jogue mais solto. Com a provável saída de Ricardo Oliveira e o retorno de Douglas Costa ao time titular, o treinador deve optar por uma formação mais leve e rápida para desarticular a defesa adversária.

“Temos que jogar com as características de nossos jogadores e tentar surpreender o adversário”, limitou-se a dizer Dunga quando questionado sobre o seu plano de jogo para superar o Peru.