Dunga projeta clássico “disputado, bonito e diferente” diante da Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2014 10h26
RIO DE JANEIRO, RJ, 17.09.2014: SELEÇÃO/CONVOCAÇÃO - O técnico Dunga convoca os jogadores para o Superclássico das Américas contra Argentina, em Pequim, e para o amistoso contra o Japão, em Cingapura, na sede da CBF, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, nesta quarta-feira (17). (Foto: Gustavo Serebrenick/Brazil Photo Press/Folhapress)Dunga convoca jogadores para superclássico das Américas

“Disputado, bonito e diferente”. É isso que o técnico Dunga pensa que será o Superclássico das Américas, entre Brasil e Argentina, que será disputado em Pequim no próximo sábado (11). Em entrevista concedida nesta sexta-feira (10), o treinador gaúcho projetou um duelo competitivo, rasgou elogios à Neymar e Messi, mas disse acreditar que a “qualidade técnica” do conjunto é que fará a diferença na disputa.

A Jovem Pan transmite todas as emoções da partida entre Brasil e Argentina, válida pelo Superclássico das Américas, com narração de Nilson César, reportagens de Marcio Spimpolo e comentários de Flávio Prado. O Jovem Pan Online segue, minuto a minuto, todos os lances da partida. Para acompanhar, acesse www.jovempan.com.br a partir das 09h.

Questionado sobre a postura da Seleção Brasileira diante do arquirrival, Dunga não prometeu um time altamente ofensivo. “Se eu quisesse agradar vocês, diria que vou pra cima. Aí, na hora de jogar, todo mundo vai se defender e atacar quando tiver a bola, em velocidade, como é o futebol moderno. Ninguém joga tão aberto assim. Mas vai ser um jogo muito disputado, bonito, diferente do que vocês estão habituados porque será muito competitivo”, projetou.

Apesar de o encontro ser analisado como um amistoso, Dunga disse valorizar o que acontecerá em Pequim. “São duas seleções de prestígio. O Brasil também é campeão do mundo. Falam que o resultado não é importante, mas eu acho importante, juntamente com trabalho, qualidade técnica, forma de jogar. É a segunda convocação, será a terceira partida com algumas mudanças, é o momento de experimentarmos jogadores e formas de jogar”, disse, sinalizando que deve realizar diversas alterações ao longo do duelo. 

Sobre o papel de Neymar e Messi na partida, Dunga não quis apontar a dupla como protagonista do clássico. “Vemos a cada jogo, a cada ano, a qualidade de cada um deles. São jogadores fantásticos. É um jogo sempre muito disputado, nunca se sabe o que vai acontecer, não há uma chave para o jogo. Vai depender do momento, eu acredito na qualidade técnica dos jogadores. A equipe que conseguir colocar isso em prática vai levar vantagem”. Em três oportunidades [duas pela Seleção Brasileira e uma pelo Santos], Neymar foi derrotado em todas quando enfrentou o argentino. 

Dunga ainda ressaltou que a dupla Kaká e Robinho não terá prioridade em relação aos atletas mais jovens. “O Kaká é um jogador de seleção que conquistou tudo isso. Um jogador que todos conhecemos. Será testado como os demais, depende de como o jogo vai acontecer. Teremos que pensar rápido para fazer as alterações. Ele e o Robinho têm representatividade grande no futebol brasileiro e vieram pelo bom momento que atravessam. É bom ter jogadores com grande experiência em Copas, e eles se aplicam como se estivessem na Seleção pela primeira vez”, finalizou.