E se Levir disser não? JP apresenta cinco nomes que poderiam comandar o Santos

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2017 16h28
Levir Culpi é o favorito

Levir Culpi é o principal nome da diretoria do Santos para substituir Dorival Júnior, demitido do comando técnico da equipe neste domingo (4). A ideia é que o treinador de 64 anos consiga motivar o atual elenco, que estaria acomodado, segundo os próprios dirigentes do Peixe.

Apesar de ainda estar no início, o Santos passa por um momento difícil no Brasileirão. Em quatro jogos, a equipe venceu apenas um e perdeu o restante. Além disso, o Peixe tem pela frente uma sequência de jogos decisivos, na Copa do Brasil e Libertadores.

Com passagens por grandes clubes do futebol brasileiro, Levir Culpi poderia ajudar o Peixe a reverter esse cenário adverso e voltar a apresentar o bom futebol que encantou os seus torcedores nas duas últimas temporadas com Dorival Júnior à frente do comando técnico.

Mesmo com o tempo de contrato sendo de apenas seis meses, devido às eleições presidenciais do clube, a diretoria do Santos está confiante no acerto. Mas, e se Levir Culpi disser não? Quem poderia assumir o Peixe? A Jovem Pan apresenta cinco nomes. Confira:

Fernando Diniz

Vice-campeão Paulista em 2016, justamente contra o Santos, Fernando Diniz está livre no mercado e em busca de novos ares. Na última semana, o treinador deixou o Audax após uma passagem de cinco anos pelo clube de Osasco, que atualmente disputa a Série D do Brasileirão. Neste período, Diniz mostrou sua competência e colocou em prática seu estilo de jogo, sem chutões, com movimentação e troca de passes intensas.

Marcelo Oliveira

O histórico recente de Marcelo Oliveira pode não ser favorável, mas o treinador fez bons trabalhos ao longo da carreira. Bicampeão do Brasileiro com o Cruzeiro (2013 e 2014) e campeão da Copa do Brasil com o Palmeiras (2015), contra o próprio Santos, Marcelo Oliveira está disponível desde o final do ano passado, quando deixou o comando técnico do Atlético-MG. Seus times sempre se destacaram por serem ofensivos.

Deivid

Deivid está apenas no começo de sua carreira como treinador. Sua primeira experiência aconteceu em 2016 no Cruzeiro. Depois de um bom início, acabou sendo demitido ainda no Mineiro. Este ano assumiu o Criciúma, mas não resistiu à pressão após o início ruim na Série B. Os resultados podem não ajudar, mas o ex-atacante – campeão brasileiro pelo Peixe em 2004 – conhece o clube e contaria com o apoio da torcida. Viria como uma aposta.

Antônio Carlos Zago

Antônio Carlos Zago encerrou sua carreira de zagueiro vestindo a camisa do Santos, em 2007. Dois anos depois deu início a sua trajetória como treinador, no São Caetano. Com passagem por Grêmio Barueri e Mogi Mirim, foi para a Europa estudar. Voltou ao Brasil para trabalhar no Juventude, em 2015. Depois de um vice estadual e o acesso a Série B, acertou com o Inter. Não resistiu à pressão após início ruim na Série B e foi demitido. Também viria como uma aposta.

Gilson Kleina

Único nome da lista que se encontra empregado, Gilson Kleina já trocou a Ponte Preta por um grande clube do futebol brasileiro. Em 2012 deixou a Macaca para trabalhar no Palmeiras. Depois de quase dois anos e um título da Série B (2013) acabou sendo demitido. Este ano voltou a Campinas e levou o time ao vice paulista, deixando para trás o próprio Peixe. Este feito, somando ao bom início no Brasileirão, o credencia para assumir o comando técnico alvinegro.

Esporte em Discussão debate sobre o futuro treinador do Santos. Levir Culpi seria um bom nome para comandar o time da Vila Belmiro?