Ecclestone confirma Coreia do Sul fora e corrida no Azerbaijão em 2015

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2014 11h35
Bernie Ecclestone não se mostrou a favor da presença de mulheres pilotando carros de Fórmula 1

Presente no calendário oficial de Fórmula 1 entre 2010 e 2013 e ainda com contrato vigente, o Grande Prêmio da Coreia do Sul seguirá de fora na próxima temporada. Em entrevista divulgada pelo jornal britânico The Independent nesta quinta-feira, o chefe máximo da categoria, Bernie Ecclestone, admitiu que a etapa disputada no Circuito Internacional da Coreia será substituída por uma prova no Azerbaijão a partir do próximo ano.  

“Eu não quero mais voltar lá. Está tudo assinado para um Grande Prêmio em Baku (capital do Azerbaijão). “Os coreanos fizeram um bom trabalho com a pista, mas esqueceram de construir todas as outras coisas que pretendiam”, completou.

Construído na cidade de Yeongnam, o circuito sul-coreano tem extensão de 5.615 km e custou U$S 264 milhões (aproximadamente R$ 583,2 milhões, em valores atuais). Financiador da etapa, o governo local pretendia construir hotéis, restaurantes e outros estabelecimentos ao redor do circuito, mas acabou não cumprindo todas as obras. Com isto, gerou diversos prejuízos.

O primeiro vencedor do GP da Coreia do Sul foi o espanhol Fernando Alonso, que chegou ao lugar mais alto do pódio em seu ano de debute na Ferrari. Nas três temporadas seguintes, o troféu ficou com o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull. O brasileiro Felipe Massa, ainda competido pela Ferrari, conquistou seu melhor resultado em 2010, quando ficou atrás apenas de Alonso e Lewis Hamilton (McLaren).

Em Baku, por sua vez, a etapa será realizada em circuito de rua e deve gerar cerca de U$S 41 milhões (cerca de R$ 90,5 milhões) aos cofres da Fórmula 1. O ex-chefe da equipe Renault, Flavio Briatore, foi nome fundamental para o acerto com as autoridades do Azerbaijão.