Ecclestone critica presença de mulheres na F-1: “não seriam levadas a sério”

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2016 11h34
Bernie Ecclestone não se mostrou a favor da presença de mulheres pilotando carros de Fórmula 1

Se depender do chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, as mulheres continuarão bem distantes dos carros da principal categoria do automobilismo mundial. Principal dirigente da F1, o inglês declarou, em entrevista à TV canadense TSN, que não gosta da ideia de ver o sexo feminino disputando corridas na categoria.

“Se surgissem mulheres capazes, elas não seriam levadas a sério de qualquer maneira. Então jamais haveria um carro em que elas pudessem ser competitivas”, declarou o mandatário.

Ao longo da história, seis mulheres tiveram a oportunidade de trabalhar na Fórmula 1. Enquanto algumas não fizeram mais do que se tornar pilotos de testes, outras chegaram a disputar corridas. Maria-Teresa de Filippis, Lella Lombardi, Divina Galica, Desiré Wilson, Giovanna Amati são representantes do sexo feminino que disputaram corridas na F-1.